Cirurgia plástica genital feminina aumenta a autoestima

Cirurgia plástica genital feminina

Postado por Marcos Grillo em 16/maio/2017

A Cirurgia Plástica Genital Feminina, conhecida também como labioplastia ou ninfoplastia, é muito procurada para os casos de hipertrofia dos pequenos lábios.

A hipertrofia dos pequenos lábios vaginais, ou seja, aumento desproporcional destes, pode atingir mulheres de todas as idades. Essa condição causa muito incômodo, principalmente no sentido estético, abalando a auto estima da mulher. Por isso, a solução procurada é a cirurgia plástica genital feminina. Segundo dados da pesquisa Global Statistics on Cosmetic Procedures, realizada pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps), o Brasil é o campeão mundial na procura por esse procedimento.

 Mais sobre a hipertrofia dos pequenos lábios

Embora a etiologia da hipertrofia de pequenos lábios (LH) não seja conhecida, várias hipóteses têm sido propostas. Tem sido postulado que a LH é uma lesão relacionada com os hormônios, semelhante aos pólipos fibroepiteliais do estroma, ou uma manifestação de linfedema crônico, em vez de uma variante anatômica.

Inicialmente, as hipóteses sugeriam que a LH estava associada com masturbação ou gravidezes múltiplas. No entanto, foram descartadas ao longo dos anos. A presença simultânea de hipertrofia dos grandes lábios é raramente descrita na literatura mundial. A classificação mais recente da LH leva em consideração a protusão dos pequenos lábios além da fúrcula vulvar e dos grandes lábios; inclui 4 classes com base no tamanho e localização.

Quando a cirurgia genital é indicada?

As principais indicações para a cirurgia plástica genital são hipertrofia dos pequenos lábios, com comprometimento estético ou funcional, e assimetria labial. Os problemas funcionais relacionados com LH incluem dor, quando de veste roupas apertadas ou durante atividades físicas, e sofrimento psíquico, resultante da aparência estética indesejável.

A razão mais comum para buscar a cirurgia genital é a insatisfação com a aparência labial, mas há outras preocupações comuns. Dor ou desconforto durante a atividade sexual, irritação geral e questões relacionadas com a higiene ou infecção também são motivos de procura do procedimento. O principal objetivo da cirurgia genital é proporcionar o mínimo possível ou até nenhuma protusão dos pequenos lábios para fora dos grandes lábios, quando a mulher está na posição ereta.

Atualmente, algumas situações controversas e questionamentos colocam em dúvida a necessidade real para a cirurgia plástica genital feminina. O alto grau de satisfação de pacientes é o incentivo para perpetuar este procedimento. No entanto, a anatomia de muitas mulheres que desejam esta cirurgia é considerada normal, o que levanta dúvidas sobre a indicação principal para o transtorno dismórfico corporal.

Por isso, é preciso o acompanhamento e análise de um médico especialista e experiente antes da cirurgia, para evitar a operação de mulheres que têm uma percepção alterada do seu corpo. Alguns autores enfatizam a natureza estética da cirurgia plástica genital, enquanto outros veem como uma técnica reconstrutiva.

Nas últimas décadas, têm sido descritas muitas técnicas para redução de pequenos lábios. As mais comuns são ressecção da borda, ressecção em cunha, Z-plastia, deepithelialização, W-plastia,e a labioplastia a laser, como é possível observas no artigo: https://academic.oup.com/asj/article-lookup/doi/10.1093/asj/sjv023

Está interessada no procedimento? Venha descobrir se é indicado para o seu caso e saber mais na Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Marcos Grillo.

(41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444

Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar

Fontes:

http://esteticagenitalfeminina.com.br/hipertrofia-ou-assimetria-de-pequenos-labios/

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2016/01/29/internas_polbraeco,515762/no-pais-campeao-de-cirurgia-intima-mulheres-contam-suas-historias.shtml