Outubro rosa: por que é preciso falar sobre o câncer de mama?

Postado por explay em 19/out/2022 - Sem Comentários

O câncer de mama é o tipo mais comum de câncer entre as mulheres brasileiras. Entenda a importância do seu diagnóstico precoce e prevenção com o Outubro Rosa.

No mês de Outubro em todo o mundo é realizada a campanha Outubro Rosa, período que reúne diversas entidades e ações em prol da conscientização, diagnóstico e prevenção contra o câncer de mama, principalmente entre a população feminina

Segundo dados do IBGE, este é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres brasileiras e, ao mesmo tempo, a partir de um menor tempo de diagnóstico, maiores as chances de cura e recuperação das pacientes. 

Dessa forma, o Outubro Rosa vem para alertar a população acerca dos principais sintomas e formas de prevenção deste tipo de câncer.

Neste conteúdo, entenda quais os primeiros sinais do câncer de mama e como você pode fazer o acompanhamento adequado para a sua prevenção e tratamento!

 

O que é o câncer de mama?

O câncer de mama é uma condição causada pela multiplicação desordenada de células da mama, que podem formar um tumor com potencial de invadir outros órgãos.

Um fator preponderante é que homens também podem ser acometidos pelo câncer de mama, mesmo que em uma escala menor, cerca de 1%. Todavia, é fundamental que este tema seja tratado com seriedade por toda a população brasileira, para que o problema seja compreendido sem tabus e com transparência. 

Se diagnosticado com antecedência, conforme falamos anteriormente, este é um tipo de câncer que possui excelentes chances de tratamento e recuperação. 

Entenda a seguir como você pode ficar atenta(o) aos sinais!

Quais os primeiros sinais?

Confira abaixo os sintomas principais do câncer de mama e como você pode detectar qualquer sinal no seu dia a dia:

  • Aumento de uma das mamas; 
  • Aparecimento de um caroço (nódulo) sensível ao toque na região da mama ou axila; Enrugamento ou endurecimento da mama; 
  • Sensações alteradas na mama como calor, inchaço 
  • Sensibilidade mamilar sem motivo aparente.

Como detectar as alterações?

Antes mesmo de procurar ajuda médica, você mesmo pode realizar o autoexame de mama em casa. No banho ou ao trocar de roupa, com o braço erguido, você pode identificar com o toque na região dos seios até a axila condições anormais que possam estar se formando na sua mama. 

Lembre-se, entretanto, que a confirmação do diagnóstico precisa ser realizada com auxílio médico, via diversos exames, entre eles a mamografia, a ultrassonografia mamária, e, em casos de dúvida diagnóstica, a ressonância magnética da mama  e a biópsia da lesão suspeita quando indicada.

Somente especialistas podem diagnosticar corretamente e prescrever a melhor forma de tratamento, de acordo com a característica do tumor e estágio da doença. As principais formas de tratamento são a  cirurgia, associada a quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia,  dependendo da exata recomendação médica.

Faça o autoexame

A melhor maneira de se prevenir é realizar sempre o autoexame de mama e ficar atento(a) a qualquer sintoma anormal em alguma das mamas. Cuide-se! (mais…)

Cirurgia plástica reparadora: uma aliada no tratamento de câncer de mama

Postado por explay em 07/out/2022 - Sem Comentários

O câncer de mama é o segundo mais comum em mulheres de todas as regiões do Brasil. A cirurgia plástica reparadora pode auxiliar no seu tratamento!

Depois dos tumores de pele, o câncer de mama é o segundo tipo de câncer com maior ocorrência entre mulheres no Brasil. Durante o mês de outubro, a campanha Outubro Rosa diz muito sobre como é importante realizar exames regulares para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Quando diagnosticado no início, as chances de cura e recuperação são ainda maiores. Hoje iremos falar de um aliado para a recuperação do câncer de mama e uma etapa fundamental para a autoestima e reabilitação do bem-estar de pacientes! Entenda mais sobre a importância da cirurgia plástica reparadora no câncer de mama. 

Sobre a cirurgia

Não é de hoje que a cirurgia plástica reparadora é uma grande aliada da Oncologia, auxiliando na reabilitação de pacientes acometidos por tumores em diferentes partes do corpo humano. No caso do tratamento do câncer de mama, não poderia ser diferente. 

A cirurgia plástica reparadora para o câncer de mama é um procedimento voltado para a recuperação da forma e da função da mama, que devido ao tratamento, ficou prejudicada por procedimentos realizados. No caso de um tratamento de câncer de mama, a cirurgia reparadora é fundamental para pacientes que realizaram a mastectomia (retirada total ou parcial da mama). 

Quais os tipos de cirurgia reparadora?

Os procedimentos são avaliados de acordo com o caso de cada paciente. Por exemplo: em caso de uma retirada parcial da mama, é indicado a reparação por mamoplastia, procedimento que com o tecido da própria mama, é possível recuperar a área da qual foi removido o tumor. Já para retiradas totais da mama, é possível a utilização de outros três procedimentos: colocação de próteses, expansores e utilização de retalhos de pele. 

A partir de uma avaliação criteriosa do caso da paciente, o médico cirurgião plástico recomendará a melhor técnica a ser utilizada.

São muitos os benefícios de uma cirurgia plástica reparadora para pacientes oncológicos. No caso do câncer de mama, os benefícios são diversos, indo desde a melhora da autoestima das pacientes, assim como seu bem-estar, o que potencializa ainda mais a sua recuperação.

Faça o autoexame, os exames de imagem (ultrassonografia e mamografia) a partir dos 35 anos) e vá ao médico com regularidade. A melhor proteção é o cuidado!

Dr Marcos Grillo Cirurgia Plástica 

Conte com uma equipe de especialistas para obter os melhores resultados em cirurgia plástica estética e reparadora. Conte com a equipe do Dr. Marcos Grillo!

Referência de mais de 25 anos de atuação em Curitiba – PR. Agende uma avaliação!

Reconstrução mamária: como a cirurgia plástica ajuda na renovar a autoestima

Postado por explay em 25/out/2021 - Sem Comentários

A reconstrução mamária é uma cirurgia plástica que auxilia mulheres submetidas ao tratamento cirúrgico do câncer das mamas a recuperar mais rapidamente sua autoestima

Uma das partes do corpo mais associadas ao sexo feminino são os seios. Ironicamente, o câncer nesta região é o que mais acomete mulheres no mundo inteiro. Com o diagnóstico precoce e posteriormente com o procedimento de reconstrução mamária, é possível tratar a doença e caminhar rumo à recuperação.

O problema é que o tratamento não envolve somente os cortes e cicatrizes resultantes da cirurgia que retira parte ou a totalidade de uma ou as duas mamas da paciente. Ele também deixa sequelas psicológicas que podem afetar profundamente a autoestima da mulher que se sente incompleta.

Até há aproximadamente trinta anos, esta questão era subjugada e poucas se sentiam no direito de querer reaver o que lhes foi tirado para preservar a vida, afinal, ela sobreviveu.

Mas daquela época até hoje, com o melhor estudo e compreensão dos prejuízos que pode trazer para a vida da mulher, é viabilizada uma alternativa: a cirurgia plástica de reconstrução mamária.

Como a cirurgia plástica ajuda na recuperação da autoestima

No ano de 2009, foram feitas 18 mil cirurgias de reconstrução mamária somente no Brasil, já em 2014, o número subiu para 103 mil cirurgias. Uma prova da importância deste passo para seguir em frente.

Diferente de outros procedimentos estéticos, este é mais delicado e exige do cirurgião, grande perícia. É preciso que ele avalie o quadro geral da paciente para entender como está a saúde do tecido da região, além de decidir qual a técnica mais adequada para cada paciente.

A reconstrução mamária pode ser imediata, quando realizada no mesmo ato cirúrgico da retirada parcial ou total da mama, ou tardia, quando realizada meses após o procedimento. Também poderá utilizar tecidos do próprio corpo assim como implantes de silicone.

A cirurgia será autorizada somente após a confirmação de que a paciente tem condições plenas para realização do procedimento, como em qualquer outra cirurgia plástica. Aqui o foco é na saúde da mulher.

Após o procedimento em que se remove as aréolas e sua cicatrização, é possível que a mulher opte, ainda, por “reconstruir” as aréolas por meio de cirurgia complementar ou de tatuagens realistas.

Diversas iniciativas já contam com projetos desse aspecto que ajudam a devolver a autoestima para mulheres que passaram pelo tratamento de câncer de mama.

Agende uma consulta com o Dr. Marcos Grillo

Se você está se recuperando de um tratamento para câncer de mama e deseja ter sua autoestima resgatada, agende hoje mesmo uma consulta conosco. Nós queremos te ajudar!

Os cuidados com as mamas

Postado por Marcos Grillo em 03/out/2013 - Sem Comentários

Estamos no mês de outubro e a campanha “Outubro Rosa” visa esclarecer a população quanto aos cuidados que as mulheres necessitam observar quanto a saúde e prevenção das doenças das mamas, principalmente o câncer da mama.

Todas as mulheres devem palpar as mamas mensalmente, após o período menstrual. Todas as mulheres, independentemente da idade, devem consultar o ginecologista, no mínimo, uma vez ao ano. As mulheres com idade entre 31e 35 anos, devem submeter-se a mamografia e ultrassonografia mamária a cada 2 anos. As mulheres com idade superior a 35 anos, devem submeter-se a mamografia e ultrassonografia mamária anualmente.

O câncer da mama aparece em 25 mulheres / 100000 mulheres na faixa dos 25 aos 30 anos e em 84 mulheres / 100000 mulheres na faixa dos 80 anos. É a principal causa de morte por câncer nas mulheres.
O câncer de mama tem um índice de cura superior a 90% naqueles casos diagnosticados precocemente (tumores com diâmetro inferior a 1 cm e sem gânglios axilares comprometidos).
Repetindo, O CÂNCER DE MAMA TEM CURA !
Portanto, as mulheres devem seguir estas orientações e estimular suas parentes e amigas para cuidar cada vez mais das suas mamas.