Por que é necessário parar de fumar para realizar uma cirurgia plástica?

Postado por Marcos Grillo em 20/set/2018

Tabagismo e internação não combinam. É interessante tentar entender a razão pela qual se diz que às vésperas de uma cirurgia plástica são um excelente tempo para largar o vício. Tem tudo a ver com a oxigenação dos tecidos operados e principalmente com o risco de trombose e embolia pulmonar, além da própria cicatrização e problemas respiratórios em um pós-operatório.
Complicações respiratórias podem acontecer após cirurgias e é dever do médico tentar minimizar os fatores de risco relacionados a este problema, auxiliando o paciente com dicas alimentares e incentivando-o a parar de fumar, nem que seja por um breve período antes do procedimento cirúrgico. Aconselha-se esta ação porque a nicotina, que é a principal substância consumida através do cigarro, é vasoconstritora, ou seja, diminui o diâmetro dos vasos. Isso dificulta a circulação sanguínea e consequentemente a oxigenação apropriada dos tecidos – em especial os que demandam mais oxigênio, como os que estão em processo de cicatrização inicial. Caso contrário, pode-se iniciar um quadro de trombose venosa (que é a obstrução de um vaso por um “trombo”, causando uma reação inflamatória perivascular).
Contudo, não adianta parar de fumar alguns dias antes da data marcada para o procedimento. O ideal é que o tabagismo seja interrompido 3 meses antes, sendo o prazo mínimo para que isto ocorra, de 30 dias. Com isso o organismo pode metabolizar parte da nicotina ainda presente no sangue e entregar uma oxigenação mais estável na hora da cirurgia. Ainda assim, é comum que seja considerado o tempo de recuperação da cirurgia e a própria duração do procedimento, visto que quanto mais demorado, mais se demandará do sistema sanguíneo, exigindo um tempo maior de parada.

 

Outros riscos que o fumante corre antes de uma cirurgia plástica

O principal problema é a trombose venosa profunda (TEV) e o tromboembolismo pulmonar (TEP) que são potencialmente fatais. Em seguida, a redução da oxigenação dos tecidos devido a vasoconstrição que pode resultar em necroses, principalmente em cirurgias com grande descolamento como a abdominoplastia, a mastoplastia, a plástica da face e pescoço. A lipoaspiração está fora desta complicação.

A verdade é que fumar é um péssimo hábito e as condições pré-operatórias podem ser uma ótima oportunidade de parar definitivamente. Sua saúde agradece!

Agende uma consulta ligando para os números (41) 3343-8881 | (41) 99834-6444 ou através da nossa página de contato.

Fontes: