Arquivo da Categoria "Silicone"

Quanto tempo dura um implante de silicone?

Postado por Marcos Grillo em 18/set/2019 - Sem Comentários

Saiba mais sobre quanto tempo dura um implante de silicone.

Você sabe quanto tempo dura um implante de silicone?

Apesar da qualidade das próteses ser muito maior hoje em dia do que nas décadas de 80 e 90, existe sim um prazo de validade para a troca.

Este prazo pode variar de paciente para paciente, então não podemos estipular um prazo geral para a substituição dos implantes.

Com o passar dos anos, os implantes vão se desgastando pela pressão nos seios, além de outros fatores. Quando o silicone perde a rigidez, pode se deslocar pela mama. Por isso é importante ficar sempre atenta e fazer os exames periódicos.

QUANTO TEMPO DURA UM IMPLANTE DE SILICONE

Como dissemos, esse tempo varia de paciente para paciente, conforme a reação de cada organismo. Mas em média pode-se considerar um prazo de 10 anos para a substituição das próteses.

As mulheres que possuem próteses de silicone nos seios devem sempre fazer os exames anuais de acompanhamento:

– Ultrassonografia (até os 30 anos de idade)

– Mamografia (a partir dos 40 anos de idade)

– Ressonância Magnética (a cada 2 anos, a partir do terceiro ano de cirurgia)

Nos exames periódicos, o médico pode avaliar a qualidade das próteses, e sua posição no seio da paciente. 

SINAIS PARA A TROCA DOS IMPLANTES

Além dos exames periódicos, a paciente deve sempre fazer o autoexame e ficar atenta a sinais que possam indicar alguma alteração nas próteses, como:

– incômodo na região;

– dor ou coceira nos seios;

– cistos ou latejamento.

DR. MARCOS GRILLO CIRURGIA PLÁSTICA

O Dr. Marcos Grillo é especialista em cirurgias plásticas estéticas e reparadoras, e atua há mais de 20 anos em Curitiba com alto preparo e qualidade. 

Ao lado de especialistas em regimes pós-operatórios e tratamentos pós-cirúrgicos, oferecemos segurança e bem-estar a nossos clientes.

Entre em contato, agende uma consulta avaliativa e tire todas as suas dúvidas com o Dr. Marcos Grillo. 


Prótese de silicone não tem relação com câncer de mama

Postado por Marcos Grillo em 23/ago/2019 - Sem Comentários

Prótese de silicone pode causar câncer de mama?

Não, as próteses não são consideradas fator de risco para o desenvolvimento de câncer. 

Existe uma certa confusão sobre o tema, porque nos últimos 5 anos aconteceram raríssimos casos de linfoma anaplásico de grandes células em portadoras de prótese de silicone.

O QUE É O LINFOMA ANAPLÁSICO DE GRANDES CÉLULAS (ALCL)

O linfoma ALCL não se inicia na glândula mamária, como o câncer de mama, e sim na cápsula que se forma ao redor da prótese.

O ALCL é uma patologia nova, descrita há menos de 5 anos, e não se têm evidências que comprovam a correlação dos implantes com sua etiopatogenia. 

O que se sabe é que, sendo uma patologia que ocorre nas cápsulas dos implantes, pode haver alguma correlação. 

Vários estudos científicos estão em andamento para tentar entender melhor esta patologia, que é raríssima: a incidência é de 0,00376% (3 mulheres em 100 mil portadoras de implantes mamários).

PRÓTESE DE SILICONE E MAMOGRAFIA

As mulheres com prótese de silicone devem realizar o exame anual preventivo, sempre em clínicas referenciadas, com aparelhos de boa qualidade.

Os aparelhos modernos de ultrassonografia e mamografia digital são capazes de identificar patologias mamárias, sem que as próteses atrapalhem o diagnóstico.

DR. MARCOS GRILLO CIRURGIA PLÁSTICA

O Dr. Marcos Grillo é especialista em cirurgias plásticas estéticas e reparadoras, e atua há mais de 20 anos em Curitiba com alto preparo e qualidade. 

Ao lado de especialistas em regimes pós-operatórios e tratamentos pós-cirúrgicos, oferecemos segurança e bem-estar a nossos clientes.

Entre em contato, agende uma consulta avaliativa e tire todas as suas dúvidas com o Dr. Marcos Grillo. 

Cirurgia plástica: confira algumas curiosidades históricas sobre o tema

Postado por Marcos Grillo em 14/ago/2019 - Sem Comentários

Um misto de ciência e arte, a cirurgia plástica é uma especialidade médica que carrega várias curiosidades ao longo de sua história.

Após séculos de aperfeiçoamentos, hoje a cirurgia plástica é muito mais do que um procedimento cirúrgico reparador. Suas técnicas permitem uma melhoria na autoestima e na qualidade de vida das pessoas.

CONFIRA ALGUMAS CURIOSIDADES HISTÓRICAS SOBRE A CIRURGIA PLÁSTICA

POR QUE ESSE NOME?

Plástica é derivada na palavra grega “plastikos” (moldar). Portanto, cirurgia plástica é aquela que molda uma área específica do corpo.

QUANDO SURGIU?

Uma técnica indiana que utilizava o músculo da testa para reconstrução do nariz foi descrita por Sushruta Samhita 600 anos antes de Cristo.

No primeiro século depois de Cristo os romanos realizavam todos os tipos de cirurgia plástica reparadora. 

E A CIRURGIA PLÁSTICA MODERNA?

Um dos precursores da cirurgia plástica moderna é o italiano Gaspare Tagliacozzi. Para tratar as sequelas deixadas pelas frequentes lutas de rua nos idos de 1500, ele desenvolveu uma técnica de reconstrução nasal.

CIRUGIA PLÁSTICA NA GUERRA

Durante a Segunda Guerra Mundial, os cirurgiões passaram a experimentar a substituição de membros inteiros, regeneração de tecidos e enxertos de pele.

Mussolini e Hitler usaram a cirurgia plástica para criar o soldado perfeito, corrigindo imperfeições que aparentavam fraqueza nos soldados, como as pálpebras caídas.

E O SILICONE?

Os implantes mamários de silicone começaram a se popularizar na década de 60 nos Estados Unidos. A ideia veio dos cirurgiões japoneses, que utilizavam próteses de silicone para preencher pernas atingidas pela pólio.

DR. MARCOS GRILLO CIRURGIA PLÁSTICA

O Dr. Marcos Grillo é especialista em cirurgias plásticas estéticas e reparadoras, e atua há mais de 20 anos em Curitiba com alto preparo e qualidade. 

Ao lado de especialistas em regimes pós-operatórios e tratamentos pós-cirúrgicos, oferecemos segurança e bem-estar a nossos clientes.
Entre em contato, agende uma consulta avaliativa e tire todas as suas dúvidas com o Dr. Marcos Grillo. 

Qual a melhor época do ano para realizar cirurgias plásticas?

Postado por Marcos Grillo em 17/abr/2019 - Sem Comentários

Saiba qual o melhor momento para realizar uma cirurgia plástica e como garantir uma recuperação de alta qualidade.

Realizar cirurgias plásticas é, também, investir em sonhos que agregam à autoestima e melhor qualidade de vida. Com os procedimentos, o tempo de recuperação se torna valioso, especialmente, quando envolvem técnicas um pouco mais invasivas.

Muitos pacientes procuram agendá-los em momentos mais propícios para a recuperação, como o período de férias dos estudos ou trabalho, ou em épocas do ano em que o clima favorece a melhora. Estações do ano mais frias como outono e inverno são os melhores períodos para realizar um procedimento que se deseja muito. Saiba porquê:

Inverno é melhor época para realizar cirurgias plásticas

Ao contrário do que muitos suspeitam, o verão não é o melhor momento para se realizar qualquer tipo de procedimento invasivo. Especialmente, os que requerem boa cicatrização da pele e vestimentas que auxiliam a recuperação (como no caso de cintas elásticas).

Por isso, estações do ano como outono e inverno são mais adequados para a realização de cirurgias. Procedimentos como abdominoplastia, lipoaspiração e os que envolvem a mudança estética diretamente na face, por exemplo, proporcionam inchaços (edemas) – e no verão, com o calor e necessidade de hidratação constante, a recuperação requer o triplo de atenção.

Temperaturas baixas facilitam a recuperação

Dias em que a temperatura está mais baixa torna a recuperação de uma cirurgia plástica um pouco mais confortável, em comparação com o pós-cirúrgico em climas mais quentes. O outono e inverno possibilitam que o paciente utilize roupas mais largas, confortáveis e que disfarçam a presença de cicatrizes, inchaços ou marcas desconfortáveis no corpo.

No entanto, é importante lembrar que banhos com a temperatura da água muito quente podem afetar a cicatrização da pele e comprometer a imunidade durante o período. Portanto, se é sua intenção realizar um procedimento nesse período, lembre-se de optar por banhos mais mornos e que não comprometam a recuperação.

O que é importante na recuperação?

No outono, inverno, verão ou primavera, é essencial que o paciente siga à risca todos os cuidados indicados pelo médico cirurgião. Como especialista, é ele quem vai indicar os melhores cuidados e quais os períodos mais propensos para uma excelente recuperação.

Além disso, preste atenção à sua agenda: mais vale realizar o procedimento no verão tendo um momento de qualidade para se recuperar do que realizá-lo no inverno e não ter o tempo necessário para isso. O processo de recuperação de uma cirurgia é tão importante quanto o procedimento em si, pois afeta diretamente os resultados desejados.

Dr. Marcos Grillo, cirurgião plástico em Curitiba

O Dr. Marcos Grillo, especialista em cirurgias plásticas estéticas e reparadoras, atua há mais de 20 anos em Curitiba com alto preparo e qualidade. O profissional atende com excelência à Clínica Novva Estética e Saúde ao lado de especialistas em regimes pós-operatórios e tratamentos pós-cirúrgicos que garantem segurança e bem estar a que realiza os procedimentos.

Entre em contato e agende uma consulta avaliativa e tire todas as suas dúvidas com o Dr. Marcos Grillo.

A Clínica de Cirurgia Plástica está localizada na Av. Sete de Setembro, nº 4848 em Curitiba (PR). Telefone para contato: (41) 3343-8881.

Fontes e referências

Implantes de silicone: atrás ou na frente do músculo?

Postado por Marcos Grillo em 30/out/2017 - Sem Comentários

Descubra como definir a melhor técnica para aplicar os implantes de silicone.

Muitas mulheres possuem a vontade de fazer implantes de silicone em algum momento de sua vida, seja apenas por questões estéticas ou até mesmo de autoestima. Mas, se definir o tamanho que a prótese terá já é difícil, imagina ter que pensar em qual é a melhor técnica para realizar a sua aplicação?

Atualmente, são existentes variados tipos de técnicas para a colocação dos implantes de silicone. Entenda quais são as características dos principais deles:

Implantes de silicone atrás do músculo

Também chamada de submuscular, essa técnica é bastante recorrida e visa aplicar a prótese entre os músculos peitorais maior e menor e a parede do tórax. É indicada para pacientes muito magras ou com mamas muito pequenas, uma vez que possuem tecido e gordura insuficiente para cobrir a prótese.

Implantes de silicone na frente do músculo

Essa técnica também é conhecida como subglandular, por justamente os implantes de silicone serem aplicados logo abaixo das glândulas mamárias. É a mais solicitada pelas pacientes, pois o local de aplicação é de fácil acesso, bem como o pós-operatório possui menos complicações. Para quem tem vontade de possuir seios bem marcados e avantajados, essa é a técnica mais indicada.

Outra técnica desse tipo é a subfascial. Nela, o implante também fica posicionado na frente do músculo, porém atrás da membrana do mesmo, conhecida como fáscia. Dessa forma, ela garante mais estabilidade para os implantes, além de apresentar resultados mais duradouros, já que é mais difícil de acontecer o caimento das mamas, por conta da sustentação que a fáscia oferece.

Independentemente da técnica que será escolhida, é preciso sempre conversar com o cirurgião plástico sobre a questão, pois ele saberá explicar exatamente quais as vantagens e desvantagens de ambas para cada caso. Agende a sua consulta aqui com a gente: (41) 3343.8881 | (41) 9 9834.6444.

Fontes:

OUTUBRO ROSA

Postado por Marcos Grillo em 05/out/2016 - Sem Comentários

Chegamos novamente ao mês de outubro.

Neste mês realiza-se a campanha para prevenção e combate ao câncer da mama: o Outubro Rosa.

O câncer de mama leva a 55000 mortes de mulheres anualmente no Brasil.

PREVINA-SE

Todas as mulheres acima de 16 anos devem realizar o auto-exame mensalmente após o período menstrual palpando-se para identificar a presença de algum nódulo. Se você ainda não sabe como fazê-lo, pergunte ao seu médico.

Todas as mulheres entre 30 anos e 35 anos devem realizar o exame de ultrassonografia mamária anualmente.

Todas as mulheres com mais de 35 anos devem realizar uma mamografia digital e uma ultrassonografia mamária anualmente.

Todas as mulheres na menopausa e na pós menopausa também devem continuar as consultas com seu ginecologista anualmente.

Resumindo, se todas as mulheres seguirem estas orientações, o infortúnio do diagnóstico do câncer da mama será mais precoce, o tratamento será menos invasivo e os índices de cura desta doença serão cada vez maiores.