Arquivo da Categoria "Sem categoria"

Prótese de silicone – Quando trocar? Quais são os cuidados que devo tomar?

Postado por Marcos Grillo em 28/jan/2019 - Sem Comentários

Como todo procedimento estético, é necessário realizar manutenções e tomar cuidados para que os efeitos sejam sempre os desejados. A prótese de silicone não foge à regra!

Também conhecida como mamoplastia de aumento, a inserção de próteses de silicone é uma cirurgia muito segura, com pós-operatório tranquilo e excelentes resultados. Todavia, cada organismo é único, então podem existir problemas, incluindo o temido encapsulamento da prótese.

O que é o encapsulamento da prótese de silicone?

Como qualquer implante, existe a possibilidade de que o corpo entenda a prótese de silicone como um “corpo estranho”. Isso causa um fenômeno, chamado de contratura capsular, popularmente chamado de encapsulamento. O índice desse problema é baixo e as próteses mais modernas atualmente apresentam índices de contratura capsular abaixo de 1%. Quando isso acontece, porém, o organismo cria uma película em torno do implante a fim de isolá-lo do restante do corpo, já que não há como repelir a prótese, como acontece com outros corpos estranhos.

Se a contratura capsular tiver avançado a um ponto que causa endurecimento do tecido e desconforto ao paciente, retira-se e substitui-se a prótese. Em casos menos graves, o tratamento é realizado apenas com a administração de corticóides e vitamina E. Uma parcela de pacientes experiencia a reincidência da contratura capsular, mas este não é o único problema que pode ocorrer.

Outros problemas que podem ocorrer com a prótese de silicone

Infecções, extrusões, hematomas e deslocamentos são problemas que ocorrem com baixíssima frequência e, na maioria das vezes, por conta da falta de cuidado dos pacientes que não seguem as recomendações médicas com o devido rigor. As próteses de silicone avançaram muito, tal qual os procedimentos de implante. Tendo isso em mente, as complicações de causa médica foram reduzidas a um número muito pequeno, ainda mais se tratando de um procedimento realizado tão frequentemente.

Para evitar problemas e complicações, basta realizar os check-ups anuais e seguir todas as recomendações de pós-operatório à risca.

Viu só? Medo do encapsulamento não é motivo para continuar adiando sua mamoplastia de aumento. Se você tem interesse em aumentar seus seios e ter o corpo dos seus sonhos, entre em contato com o Dr. Marcos Grillo e marque uma consulta!

Referências:

O Brasil está no cenário de turismo estético mundial. Saiba como e porquê

Postado por Marcos Grillo em 25/jan/2019 - Sem Comentários

O Brasil recebe visitantes de todas as partes do mundo, que vêm com o objetivo de fazer o chamado turismo estético

Considerando que o Brasil é um dos países que mais realiza cirurgias estéticas e que os médicos brasileiros são renomados por isso, é apenas natural que a fama se espalhe internacionalmente. Diversas pessoas vêm para o Brasil exclusivamente para realizar cirurgias e outros procedimentos estéticos e, de acordo com o Ministério do Turismo, os eventos de estética vêm impulsionando o turismo de negócios, sendo a capital paulista o principal destino brasileiro do turismo desses eventos.

Dados sobre o turismo estético no Brasil

A principal razão para que os “gringos” escolham o Brasil para fazer seu turismo estético, é a combinação de baixo custo e excelência em determinadas especialidades, como cirurgias plásticas. Preços podem ser entre 20% e 30% menores do que em países como Estados Unidos. As listas de espera também costumam ser bem reduzidas quando comparadas a mercados médicos de outros países famosos pela mesma razão. Estima-se que, por estes motivos, o setor de medicina estética movimente mais de 3 bilhões de reais por ano no país.

O Brasil se destaca por conquistar um espaço de bastante credibilidade na medicina mundial e esses turistas – que gastam em média entre 3,5 mil e 5 mil dólares por visita – dizem que a economia no médico geralmente compensa o custo da viagem.

Vale a pena ressaltar que as viagens para tratamento estético, como spas, também são classificadas como turismo de saúde, bem como atividades turísticas decorrentes do uso de meios e serviços para fins médicos e terapêuticos. Todos esses valores caem na conta supracitada.

Se você tem interesse, ou conhece algum estrangeiro que quer realizar procedimentos estéticos no Brasil, agende uma consulta com o Dr. Marcos Grillo – Um profissional de extrema qualificação e capacidade, que está pronto para trazer à realidade o corpo dos sonhos!

Referências:

https://br.sputniknews.com/brasil/20150323528749/

Os benefícios e os malefícios dos raios solares e o uso do protetor solar

Postado por Marcos Grillo em 27/dez/2018 - Sem Comentários

Vivemos em um país tropical onde o sol é um ilustre residente. Mesmo que sua presença seja benéfica, existem contrapontos. Veja agora quais são os perigos da exposição excessiva ao sol e a importância do uso do protetor solar

O Sol é o astro que permite a existência da vida na Terra. É através dele que as plantas podem fazer fotossíntese e produzir oxigênio, permitindo que outras formas de vida possam se desenvolver. Para os seres humanos, o sol produz luz, energia, calor e a ativação da Vitamina D: fatores importantíssimos para a manutenção da vida humana. Todavia, da mesma forma que o sol pode trazer benefícios, a exposição excessiva de qualquer ser vivo à luz solar, pode trazer problemas. Para os humanos essa é a razão pela qual se destaca a importância do uso do protetor solar.

O Sol chega até nós em diferentes formas

É necessário entender que a radiação solar é dividida. Apenas uma pequena parte dessa energia é visível ou até perceptível pelos nossos sentidos. O sol chega até nós das seguintes maneiras:

  • Raios infravermelhos: Desidratam a pele e criam a sensação de calor;
  • Raios UVC: São super perigosos e causam queimaduras e cânceres de pele. Eles raramente chegam até nós, pois são geralmente bloqueados pela camada de ozônio;
  • Raios UVB: São os raios que causam envelhecimento precoce e câncer de pele. Eles são grande parte da razão porque se indica o uso de protetor solar;
  • Raios UVA: Eles bronzeiam a pele, mas também são causadores de câncer de pele e envelhecimento precoce! Também fazem parte do espectro de raios bloqueados pelo uso de protetor solar

Cinco dicas para o uso do protetor solar

Agora que você já sabe quais os benefícios e malefícios que cada parte do sol traz ao seu corpo, veja como usar o protetor solar corretamente!

  1. Não economize protetor solar, mas também não mergulhe nele! Excesso de protetor solar é desperdício do produto. Cobrir-se homogeneamente é a melhor dica!
  2. Quanto mais clara for sua pele, maior deve ser o fator de proteção solar (FPS) utilizado!
  3. Aplique protetor várias vezes ao dia. O protetor solar se prende a pele por apenas três horas, fazendo com que novas aplicações sejam necessárias para continuar a proteção.
  4. Ambientes fechados também exigem o uso de protetor solar. As lâmpadas também emitem radiação nociva à pele.
  5. Protetores solares específicos para a face podem evitar o surgimento de espinhas.

O Sol é nosso amigo, mas você deve se proteger. Se você está interessado em cuidar mais da sua pele e em ter um melhor relacionamento com o sol, marque uma consulta com o Dr. Marcos Grillo e seja feliz durante o verão!

Referências:


Qual a importância da Cirurgia Plástica pós bariátrica para o paciente?

Postado por Marcos Grillo em 24/ago/2018 - Sem Comentários

A Cirurgia Plástica pós bariátrica é fundamental para devolver a autoestima que o paciente tanto merece. Saiba como ela é realizada neste artigo.

A pós bariátrica é uma Cirurgia Plástica que visa dar melhor contorno corporal ao paciente que se submeteu a uma bariátrica devido ao estado de obesidade em que se encontrava.

Em boa parte das populações ocidentais, a taxa de obesidade vem crescendo a cada ano, o que representa um dos problemas de saúde mais preocupantes da atualidade. Isso se deve ao fato da doença desencadear tantas outras, como o infarto do miocárdio, a hipertensão e a diabetes – e, a fim de evitar essas consequências, o paciente submete-se à cirurgia bariátrica, pois ela permite uma perda de peso considerável.

 

Mas, não basta apenas essa cirurgia para o paciente se sentir bem consigo mesmo novamente, até porque o procedimento traz grandes excessos de pele flácida, que ficam localizados principalmente no abdômen, braço, pernas e mamas. Para isso, a Cirurgia Plástica é indicada para devolver o bem-estar e a autoestima da pessoa.

 

O passo a passo da Cirurgia Plástica pós bariátrica

Há algumas etapas que precisam ser cumpridas antes da Cirurgia Plástica pós bariátrica ser efetivamente realizada, sendo a primeira delas a estabilização do peso do paciente. Além dessa etapa, outras tantas acompanham o processo – que, normalmente, leva cerca de um 1,5 a 2 anos para ser completado -, como a mudança da postura, da autoimagem e da silhueta.

Com isso tudo alinhado, essa cirurgia de contorno corporal finalmente pode ser aplicada, tendo início na região do abdômen, seguindo para as mamas, braços, coxas e face – ou na ordem que o paciente preferir, desde que não vá contra a lógica do procedimento. Após tudo feito, não se esqueça dos cuidados pós-operatórios, que consistem basicamente em repouso e curativos adequados, que serão explicados minuciosamente pelo Cirurgião Plástico.

Caso tenha interesse em realizar uma Cirurgia Plástica pós bariátrica, agende uma consulta aqui na clínica e vamos conversar sobre o processo como um todo: (41) 3343-8881 | (41) 99834-6444

 

Fontes:

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/cirurgias-e-procedimentos/contorno-corporal/pos-bariatrica/

https://www.sbcbm.org.br/cirurgia-plastica/#1507069843682-16fb1ab0-c41d

Como escolher seu Cirurgião Plástico

Postado por Marcos Grillo em 26/jun/2018 - Sem Comentários

Conheça os principais fatores a serem considerados na hora de escolher seu Cirurgião Plástico

Escolher seu Cirurgião Plástico é o primeiro passo para realizar uma Cirurgia Plástica bem-sucedida. A busca demanda atenção e é preciso pesquisar bastante na hora de escolher o profissional para realizar a sua cirurgia. Primeiramente, verifique as titulações e certificações para ter certeza de que o médico é especialista em Cirurgia Plástica. Para garantir que ele passou por treinamento na área, é preciso que o Cirurgião Plástico seja um membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Obrigatoriamente, o Cirurgião Plástico deve ter o título de especialista ou de membro titular da SBCP, ou seja, um grau mais elevado dentro da instituição. Para ser associado à SBCP, o médico deve ter registro em Cirurgia Plástica no Conselho Regional de Medicina (CRM) e ser aprovado na prova específica de obtenção de título.

Assim, escolher um Cirurgião Plástico associado à SBCP é garantia de que o médico completou treinamento em cirurgia por no mínimo 5 anos, sendo 3 deles dedicados à Cirurgia Plástica. Os profissionais com respaldo da SBCP também têm a garantia de operar apenas em instalações médicas credenciadas e estarem submetidos a um estrito código de ética, além de serem aptos a realizar tanto Cirurgias Plásticas Estéticas quanto Reparadoras.

Além das titulações, também deve ser levada em conta a capacidade técnica e científica comprovada do Cirurgião Plástico, a experiência adquirida ao longo da carreira e a confiança que ele passa aos seus pacientes. Para isso, é preciso pesquisar sobre o Cirurgião Plástico escolhido e se consultar com ele para ter certeza de sua capacidade.

Outro fator importante a ser levado em conta na hora de escolher o seu médico é a reputação adquirida pelo profissional perante a outros médicos, à sociedade onde ele atua e com relação aos ex-pacientes – muitas pessoas optam por pedir indicações aos ex-pacientes do Cirurgião Plástico.

Como qualquer intervenção cirúrgica, a Cirurgia Plástica pode apresentar riscos para o paciente, por isso é necessário escolher um profissional credenciado e que esteja preparado para realizar os procedimentos. Conheça mais sobre a carreira do Dr. Marcos Grillo (LINK: https://marcosgrillo.com.br/dr-marcos-grillo/) e marque uma consulta para tirar suas dúvidas: (41) 3343-8881 e (41) 99834-6444.

 

Fontes:

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/seguranca-do-paciente/cirurgiao-de-confianca/

Saiba tudo sobre os Procedimentos Estéticos Não-Cirúrgicos, tratamentos menos invasivos e de alta eficácia

Postado por Marcos Grillo em 22/maio/2018 - Sem Comentários

Os Procedimentos Estéticos Não-Cirúrgicos oferecem alternativas de tratamentos faciais para necessidades específicas

A procura por Procedimentos Estéticos Não-Cirúrgicos tem aumentado vertiginosamente nos últimos anos. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) aponta um crescimento de 390% neste mercado. E a tendência de crescimento para o Censo de 2018 persiste.  Os principais fatores que envolvem esta realidade são os jovens em busca de procedimentos menos invasivos e preventivos, a redução de custo dos procedimentos e o aumento de especialistas na área.

Os Procedimentos Estéticos Não-Cirúrgicos são indicados para casos menos complexos ou realizados em pacientes que não tenham condições clínicas para serem submetidos a uma Cirurgia Plástica. Esses procedimentos geralmente podem ser resolvidos em poucas sessões. Em casos mais complexos e em que o resultado não será satisfatório com os Procedimentos Estéticos Não-Cirúrgicos, a Cirurgia Plástica (seja estética ou reparadora) é indicada. A perfeita orientação sobre os melhores caminhos é realizada pelo Cirurgião Plástico de sua confiança.

Entre os tratamentos mais procurados no país estão o preenchimento (1º lugar), aplicação de toxina botulínica para suavizar marcas e linhas de expressão do rosto (2º lugar), peeling (3º lugar), laser (4º lugar) e suspensão com fios (5º lugar).

O tipo de procedimento indicado (cirúrgico ou não-cirúrgico) depende de cada fase e da necessidade de cada paciente. Por exemplo, graus avançados de envelhecimento tendem a demandar cirurgia. Já casos menos complexos de marcas de envelhecimento podem ser tratados com Procedimentos Estéticos Não-Cirúrgicos.

Conheça alguns Procedimentos Estéticos Não-Cirúrgicos realizados na Clínica Dr. Marcos Grillo:

Aplicação de Toxina Botulínica (Botox®)

É indicada para atenuar rugas na região da testa, das laterais das órbitas (conhecidas como “pés de galinha”), da raiz do nariz e diminuir marcas de expressão ao redor da boca e do pescoço. Porém, a Toxina Botulínica (Botox®) também é usada para tratar casos de sudorese excessiva (hiperidrose), sendo aplicada nas axilas, nas palmas das mãos e nas plantas dos pés.

Preenchimentos

A Clínica Dr. Marcos Grillo emprega preenchimentos absorvíveis, à base de ácido hialurônico. Esses preenchimentos são usados para atenuar sulcos faciais e aumentar o volume dos lábios, regiões malares, temporais, contorno da mandíbula e outros.

Peelings químicos

As preparações químicas usadas no Peeling descamam as camadas mais superficiais da pele e promovem a renovação celular no local. O Peeling melhora a textura da pele, reduz marcas de acne, clareia manchas e atenua rugas superficiais.

Agende sua consulta com o Dr. Marcos Grillo e conheça estes e outros Procedimentos Estéticos Não-Cirúrgicos, como a Luz Intensa Pulsada, Laser, Radiofrequência e Ultrassom.

 

Fontes:

https://veja.abril.com.br/saude/estetica-procura-por-procedimentos-nao-cirurgicos-aumenta-390/

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2014/07/brasil-se-torna-pela-primeira-vez-lider-em-cirurgias-plasticas-diz-organizacao.html

https://marcosgrillo.com.br/botox-e-preenchimento-facial-diferencas/

https://marcosgrillo.com.br/cirurgia-plastica-estetica/

https://marcosgrillo.com.br/artigos-sobre-cirurgia-plastica/

http://harpersbazaar.uol.com.br/beleza/beleza-sem-cortes-cresce-a-variedade-de-procedimentos-esteticos-nao-cirurgicos/

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/wp-content/uploads/2017/12/CENSO-2017.pdf

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/2017/07/18/estetica-procura-por-procedimentos-nao-cirurgicos-aumenta-390-2/

As diferenças entre Cirurgia Plástica Estética e Reparadora

Postado por Marcos Grillo em 07/maio/2018 - Sem Comentários

Cirurgia Plástica Estética e Reparadora – além de melhorar a aparência, a Cirurgia Plástica é uma forma de cuidar da saúde.

O objetivo da Cirurgia Plástica é reconstituir, restaurar, modificar ou melhorar áreas do corpo humano, seja por aparência ou necessidade. Neste sentido surge a divisão entre Cirurgia Plástica Estética e Reparadora reconstrutiva, ainda que ambas contribuam para a autoestima e a saúde do paciente de formas diferentes mas integradas. Em alguns casos, a Cirurgia Plástica Estética também pode melhorar a saúde e a qualidade de vida do paciente e é tão importante quanto outras intervenções cirúrgicas.

Cirurgia Plástica Estética

Na maioria das vezes, é a primeira a ser lembrada quando o assunto é Cirurgia Plástica. É realizada para melhorar a aparência do paciente e não interfere na sua saúde física, mas é feita para melhorar a autoestima, além de contribuir para a saúde mental e as relações interpessoais e sociais. No Brasil, as Cirurgias Plásticas Estéticas mais realizadas são a lipoaspiração, para retirada de gordura localizada, e implante de silicone nos seios. Porém, as Cirurgias Plásticas Estéticas podem ser feitas para corrigir orelhas de abano, atenuar o aspecto de uma cicatriz, alterar a forma ou o tamanho do nariz ou das mamas, entre outras.

Cirurgia Plástica Reparadora

Tem o objetivo de corrigir deformidades congênitas ou adquiridas. Traumas como acidentes, queimaduras e cirurgias oncológicas causam deformidades adquiridas, enquanto as congênitas são causadas por má formação durante a gestação. Dessa forma, a Cirurgia Plástica Reparadora é realizada quando a deformidade (ou cicatriz) atrapalha as funções do corpo do paciente e interfere na sua rotina diária, impedindo-o de exercitar funções básicas.

Alguns exemplos de cirurgias reparadoras são as reconstruções mamárias realizadas após a retirada total ou parcial do seio devido ao tratamento de câncer de mama, bem como reconstruções e transplantes faciais para tratamento de traumas na face. Ou seja, a Cirurgia Plástica Reparadora é tão necessária quanto qualquer outro tipo de intervenção cirúrgica.

Agende sua consulta com o Dr. Marcos Grillo e entenda os benefícios da Cirurgia Plástica, assim como as diferenças entre a Cirurgia Plástica Estética e Reparadora.

Fontes:

Uma homenagem do Dia do Cirurgião Plástico

Postado por Marcos Grillo em 07/dez/2017 - Sem Comentários

No Dia do Cirurgião Plástico, nada melhor do que falar destes profissional que é detalhista e perfeccionista por natureza. É ele quem devolve o bem-estar e a autoestima das pessoas com seu trabalho. Conheça a história da profissão.

Apesar de, hoje, possuir técnicas muito modernas e ser uma área cheia de inovações, a cirurgia plástica é um ramo muito antigo. Desde milhares de anos atrás as pessoas não aceitam as imperfeições do seu corpo, sentindo a necessidade de muda-lo para atingir a aparência desejada. Dessa forma, o cirurgião plástico é uma profissão que vem, há muito tempo, trazendo satisfação e bem-estar aos pacientes.

Como surgiu?

De acordo com registros históricos, papiros escritos cerca de 2.500 a.C, as primeiras cirurgias plásticas foram realizadas na Índia. Os relatos descrevem procedimentos feitos para reconstrução de algumas partes do corpo, principalmente nariz e para tratamento de fraturas da mandíbula.

Nesta época, eram aplicadas muitas punições aos integrantes das tribos hindus. Mulheres adúlteras, por exemplo, tinham seu nariz amputado. Dessa forma, os cirurgiões plásticos da época desenvolviam técnicas com enxertos de pele da parte interna do braço para a reconstrução.

Os registros mostram que o primeiro cirurgião plástico da história foi o indiano Sushruta que, no século VI a.C escreveu o famoso livro ‘Sushruta Samhita’ onde relata as punições hindus e os seus trabalhos para a reconstrução da aparência das vítimas.

Mais tarde, essas técnicas foram superando gerações e se espalhando pelo mundo. No século XV, a Itália era o único país que praticava a rinoplastia. O método utilizado é atribuído ao italiano Gasparo Tagliacozzi, que era professor de anatomia na Universidade de Bolonha e foi o primeiro a publicar um artigo detalhado sobre o procedimento. Isto ocorreu em 1597.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a cirurgia plástica atingiu outro patamar ao ser utilizada para amenizar cicatrizes de soldados que se feriram nas batalhas. O nome que ficou famoso por isto foi o do Dr. Harold Gillies. A primeira cirurgia plástica da história foi realizada por ele, em 1917.

Walter Yeo era um soldado que sofreu profundas queimaduras no rosto, resultando na perda das pálpebras inferiores e superiores. Ele foi o paciente de Gillies, que retirou tecido de uma área não atingida (costas ou peito) para fazer um tubo de pele saudável para se conectar ao local ferido, em que seria feito o transplante de pele. Dessa forma, não se perderia o fluxo sanguíneo, possibilitando a regeneração natural e, depois da cicatrização, o tubo foi removido.

Este foi um breve trecho da história da cirurgia plástica. Como podemos ver, o cirurgião plástico tem um papel fundamental para o bem-estar das pessoas e por isso esta data é tão especial!

 

 

Fontes:

https://projetomedicina.com.br/medicina/as-primeiras-cirurgias-plasticas-faciais/

http://cirurgiaplasticabr.blogspot.com.br/2008/12/histria-da-origem-da-cirurgia-plstica.html

http://www.drkleilton.com.br/historia/

http://www.bgcirurgiaplastica.com.br/artigo28-cirurgiaenariz.htm

Reconstrução mamária: uma melhora na autoestima da paciente

Postado por Marcos Grillo em 26/out/2017 - Sem Comentários

Devido a procedimentos realizados por conta de casos de câncer de mama, a reconstrução mamária vem para ajudar a paciente com a sua autoestima.

Neste Outubro Rosa, mês da conscientização sobre o câncer de mama, muitos são os assuntos discutidos sobre a doença – inclusive a questão sobre a autoestima da paciente. Normalmente, boa parte das pessoas que passaram por uma mastectomia (retirada total ou parcial da mama) tem indicação para passar por uma reconstrução mamária. Porém, antes de decidir qualquer coisa, é sempre importante conversar com um cirurgião plástico sobre o procedimento.

A reconstrução mamária age física e emocionalmente sobre a mulher que teve a sua mama retirada por conta de um câncer de mama – ou outras situações, como a agenesia de uma das mamas (Síndrome de Poland), queimaduras ou traumas na região peitoral. Isso se deve ao fato de que uma nova mama melhora consideravelmente a autoestima, autoconfiança e qualidade de vida da paciente.

Esse procedimento pode ser imediato, isto é, realizado ao mesmo tempo que a mastectomia, ou tardio, após a recuperação da mastectomia ou de quaisquer outras cirurgias. Além disso, ele também é realizado em dois ou três tempos cirúrgicos, dividido da seguinte maneira:

1. Num primeiro momento, há a devolução do volume retirado;
2. Após isso, o trabalho é deixar a mama reconstruída o mais parecido possível com a sadia (processo de simetrização);
3. Por fim, há a reconstrução da placa aréolo-mamilar (bico do seio).

Com relação às técnicas utilizadas na hora da reconstrução mamária, há três principais – que deverão ser discutidas com o profissional que vai fazer a operação, uma vez que podem variar de caso para caso, por conta da forma, tamanho e localização da retirada do tecido. Confira abaixo o que caracteriza cada uma dessas técnicas:

– Prótese de silicone: essa técnica é normalmente indicada em casos que a mastectomia não comprometeu tanto a pele ou para quem não possui tecido suficiente para a reconstrução mamária.
– Uso de expansores: uma espécie de prótese vazia é inserida sob a pele para que, gradualmente, o tecido da mama expanda, por meio da aplicação de soro fisiológico, até chegar ao tamanho desejado. Após essa primeira etapa, há a retirada desse expansor e a inserção do implante definitivo.
– Transferência de retalho de pele: essa opção visa a retirada de tecido de uma área do corpo específica para reconstruir a mama. Os locais mais comuns dessa retirada de tecido para a reconstrução mamária são 1) pele, gordura e músculos da parte inferior abdominal; 2) tecido adiposo da barriga; e 3) retalho do músculo grande dorsal (costas).

Caso você tenha interesse em realizar a reconstrução da sua mama, agende uma consulta aqui na clínica e tire todas as suas dúvidas quanto ao procedimento: (41) 3343.8881 | (41) 9 9834.6444

Fontes:

Supercílios assimétricos: como fazer a correção?

Postado por Marcos Grillo em 17/out/2017 - Sem Comentários

As sobrancelhas, também conhecidas por supercílios, podem ter formatos diferentes, precisando de algumas medidas para atingir o formato ideal.

É muito comum as pessoas possuírem os supercílios diferentes um do outro. Também conhecidos por sobrancelhas, possuem diferentes formatos e posicionamento na região frontal, sendo, raramente, simétricos.

As sobrancelhas das mulheres são diferentes das masculinas. Para elas, o formato ideal seria a porção lateral, ou a calda, ser mais alta do que sua origem que é perto da raiz nasal, região também conhecida anatomicamente como glabela. Já a deles fica ideal se a parte lateral e a interna estiverem na mesma altura.

Existem maneiras de atingir o formato ideal dos supercílios. Podem ser cirúrgicas, por meio da videoendoscopia frontal ou ritidoplastia do terço superior da face, e não cirúrgicas, com o emprego de toxina botulínica, o famoso Botox®.

Na segunda opção, a substância é aplicada na musculatura elevadora dos supercílios, na sua porção medial, e na musculatura depressora do supercílio, na sua porção lateral. Dessa forma, é possível conseguir o formato anatômico das sobrancelhas, ou seja, sua simetria.

Em muitos casos, pode haver uma diferença de altura dos supercílios, isto é, um lado mais baixo que o outro. Nestes casos, a aplicação do Botox® deve ser realizada de maneira minuciosa e individualizada para cada lado.

Para os casos cirúrgicos, os procedimentos servem para o reposicionamento da musculatura da região. A videoendoscopia precisa de internação de 12 a 24 horas, anestesia local e sedação. O retorno às atividades cotidianas pode ser feito entre sete e dez dias e às atividades físicas em vinte dias. A ritidoplastia proporciona mais naturalidade no resultado e as cicatrizes ficam camufladas. A internação é de 24 horas, com anestesia local e o retorno às atividades cotidianas é feito em dez a quinze dias e às físicas em trinta dias.

Agende sua consulta conheça melhor o seu caso: (41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444 | Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar.