Arquivo do Autor

Estudo internacional demonstra crescimento mundial em número de cirurgias estéticas

Postado por Marcos Grillo em 09/nov/2018 - Sem Comentários

Resultados da pesquisa anual realizada pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) mostram um crescimento substancial no número de cirurgias estéticas ao redor do mundo

Foram divulgados, neste dia primeiro de Novembro de 2018, os resultados da Pesquisa Estética Global anual de procedimentos realizados em 2017. Eles revelaram um crescimento geral de 5% nos procedimentos cirúrgicos estéticos nos últimos 12 meses!

Além desta informação importante, foi revelado também o ranking dos oito países que mais realizam procedimentos estéticos. Em ordem, eles são: Estados Unidos, Brasil, Japão, México e Itália – juntos estes países são responsáveis por 38,4% dos procedimentos estéticos de todo o mundo – seguidos por Alemanha, Colômbia e Tailândia. A seguir você pode ver a tabela que compreende todos os números do ano passado.

Quais cirurgias estéticas tiveram um aumento mais expressivo?

Algumas cirurgias foram mais solicitadas do que outras em 2017. O rejuvenescimento vaginal (incluindo a labioplastia), por exemplo, demonstrou o maior crescimento no número de procedimentos em relação a 2016, com um aumento de 23%. Este procedimento é seguido pela abdominoplastia, com 22%, pela gluteoplastia, que cresceu 17%, e pela rinoplastia, que subiu 11%. O implante de mamas continua sendo o procedimento estético mais popular, seguido por lipoaspiração e por blefaroplastia. O procedimento cirúrgico que sofreu a maior queda em 2017 foi o contorno facial, que caiu 11%. Os procedimentos não-cirúrgicos mais populares continuam sendo os injetáveis, com a toxina botulínica figurando em primeiro, mesmo que com uma queda de 1% ao longo dos últimos 12 meses.

A diferença entre gêneros na busca por procedimentos estéticos

As mulheres continuam impulsionando a demanda por procedimentos estéticos, sendo responsáveis por 86,4% (20.207.190) dos procedimentos em todo o mundo. Todavia, em 2017, os homens representaram 14,4% dos pacientes estéticos, causando um pequeno aumento em relação a 2016. As cinco intervenções mais requisitadas entre os homens são blefaroplastia, ginecomastia, rinoplastia, lipoaspiração e transplante capilar.

Este texto é uma reprodução dos resultados da pesquisa realizada durante o ano de 2017 pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS). A Clínica do Dr. Marcos Grillo tem orgulho em participar da felicidade de muitas pessoas que constam nas listas citadas acima.

 

Leia também:

Fonte:

Cirurgia plástica no verão? Realize seus procedimentos preparatórios com recuperação planejada para a primavera.

Postado por Marcos Grillo em 01/nov/2018 - Sem Comentários

Chegar ao fim do ano com o corpo dos seus sonhos é uma meta? Temos aqui algumas informações para quem deseja realizar uma cirurgia plástica no verão

O que constitui o dilema da realização do procedimento estético nas estações quentes é o inimigo de qualquer pós-operatório: o Sol. Além das manchas, quem toma sol poucos dias após a cirurgia plástica, pode sofrer com inchaços e vasodilatação. É recomendado que pessoas em processo de recuperação não se exponham ao sol por, no mínimo, 30 dias. Este período ainda pode se estender para 60 dias ou mais! Fora o risco de complicações derivadas da exposição solar, fazer uma cirurgia plástica no verão significa que você perderá a melhor parte do ano se recuperando.

 

Então quer dizer que eu não posso fazer uma cirurgia plástica no verão?

Não se preocupe! Ainda há tempo hábil para que você realize o procedimento desejado e se recupere para aproveitar o verão numa boa. Claramente as intervenções mais complexas terão que ser deixadas para janeiro de 2019 se você quer curtir o verão com toda a intensidade que ele merece, mas algumas cirurgias têm recuperação mais rápida, como a inclusão de prótese mamária e as lipoaspirações de pequeno porte. O corte é pequeno em ambas. O edema da lipo é temporário e de fácil reversão, se combinado com uma drenagem linfática. Se você não pretende emagrecer com esta lipoaspiração, este pode ser o toque que faltava para a chegada do verão. Com 60 dias de recuperação, já estará apta a se apresentar nas areias da praia. Com 45 dias a recuperação da incisão para inclusão das próteses mamárias também já estará completa.

Outras correções de menor porte que podem ser realizadas antes da chegada da estação mais quente do ano incluem a Blefaroplastia (pálpebras); a Rinoplastia (nariz); a Otoplastia (orelhas) e a Ritidoplastia (rosto). Estas têm tempo de recuperação reduzido – apenas 30 dias de cuidado.

Nunca é demais lembrar que a aplicação de filtro solar é obrigatória em todas as situações de exposição solar, principalmente em casos de pós operatório. Fique atento e leve sua recuperação muito a sério.

Entre em contato com a clínica do Dr. Marcos Grillo e saiba mais sobre as cirurgias plásticas que você pode realizar para o verão. Ainda dá tempo!

 

Fontes:

Guia: como escolher um bom cirurgião plástico?

Postado por Marcos Grillo em 26/out/2018 - Sem Comentários

A busca por cirurgias estéticas aumenta muito com a chegada do verão, mas com a necessidade vem a preocupação. Aqui você encontrará informações sobre como escolher um bom cirurgião plástico para realizar o seu procedimento

Além da alta na procura por procedimentos estéticos que acontece com a aproximação das estações quentes, notícias recentes de cirurgias feitas de maneira indevida, resultando em fatalidades, preocupam aqueles que têm interesse em mudar algum aspecto do seu corpo. Existem, entretanto, algumas medidas que podem ser tomadas para que você encontre um profissional competente e atencioso, que cuidará das suas demandas com toda a ética que se exige de um bom cirurgião plástico.

O primeiro de todos os passos é saber se o profissional com o qual você tem interesse de se consultar, possui a certificação da SBCP. Para isso, basta consultar o site da instituição. Verificar se o médico possui registro no Conselho Federal de Medicina (CFM) também é uma medida de segurança para o paciente, tal qual realizar uma primeira consulta com mais de um profissional para conhecê-los melhor.A análise de currículo do cirurgião também se mostra como um ótimo método de avaliação: Observe a universidade de formação do profissional, tal qual sua titulação (Se é especialista ou Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica; se é Mestre e/ou Doutor em cirurgia) e os antecedentes no CRM do estado onde o cirurgião atua.

 

Como escolher um bom cirurgião plástico para meu procedimento

Você deve aproveitar a oportunidade da primeira consulta e realizar algumas perguntas que, geralmente, oferecem mais segurança aos pacientes. Figuram como exemplos:

  • O lugar onde o procedimento será realizado possui alvará da Vigilância Sanitária?
  • O que é preciso fazer para obter os melhores resultados?
  • Onde e como será realizada a cirurgia?
  • Qual é o tempo de recuperação e que tipo de ajuda será necessária durante o pós-operatório?
  • Quais são os riscos e complicações associados ao procedimento e como são tratadas as complicações?

 

Da mesma forma como é obrigação ética do médico repassar as informações verdadeiras e necessárias ao paciente, é dever do paciente fornecer todas as informações pertinentes que lhe forem solicitadas. O processo de intervenção estética é intenso e exige confiança de ambas as partes para que os resultados sejam os melhores possíveis e você não saia decepcionado.

Duas dicas também se fazem bem importantes: não confie em mídias sociais como um sinal de sucesso dos procedimentos realizados pelos médicos. As fotos não condizem com a realidade e podem ter vindo de fontes totalmente não relacionadas com o profissional em questão. Médicos que cobram preços muito abaixo das linhas gerais do mercado também não devem ser dignos de confiança imediata.

Se você está motivado(a) a realizar um procedimento estético, entre em contato e marque uma consulta com o Dr. Marcos Grillo. Garantimos um atendimento atencioso em um excelente ambiente!

 

Fontes:

Boa alimentação favorece uma melhor cicatrização de feridas

Postado por Marcos Grillo em 25/set/2018 - Sem Comentários

A boa alimentação favorece todos os aspectos da sua saúde, mas você sabia que uma alimentação programada também pode te ajudar a cicatrizar melhor os ferimentos do pós-operatório?

Sim, é verdade! Não é nenhuma novidade que, conforme o ditado prega, somos aquilo que comemos. Todo o corpo sente qualquer alteração em nossa dieta. Por isso é muito importante manter os níveis de ingestão de todas as substâncias indispensáveis à manutenção do nosso organismo em dia. A falta de qualquer nutriente essencial pode nos levar a falhas catastróficas do organismo, doenças e suscetibilidade a vários tipos de microorganismos malignos e nocivos. Opostamente ao déficit de nutrientes, existem dietas que visam favorecer vários aspectos do físico humano: dietas para quem tem problemas estomacais, para quem deseja engordar ou emagrecer, dietas para quem quer melhorar a condição da pele… e nesse caso entram implementos dietários que podem te ajudar a cicatrizar melhor!

Componentes de uma boa alimentação

Pequenas alterações na sua alimentação podem ajudar (e muito!) o processo de cicatrização de um ferimento, em um cenário pós-operatório ou não. Isso porque determinados alimentos estimulam a produção de substâncias que auxiliam o crescimento do tecido, suavizando marcas e abaixando o risco de criação de quelóides, além de acelerarem o processo de fechamento da ferida. Confira alguns deles:

 

Componentes que não devem constar em sua alimentação

Da mesma forma que alguns alimentos auxiliam o processo anti-inflamatório, alguns outros atrapalham. Alimentos com muito açúcar e ricos em gordura são péssimos para essas situações. Açúcar em pó e até mesmo o mel são contraindicados para um período de recuperação de uma cirurgia, tanto quanto carnes gordas e chocolates.

 

Agende uma consulta ligando para os números (41) 3343-8881 | (41) 99834-6444 ou através da nossa página de contato.

 

Fontes:

Por que é necessário parar de fumar para realizar uma cirurgia plástica?

Postado por Marcos Grillo em 20/set/2018 - Sem Comentários

Tabagismo e internação não combinam. É interessante tentar entender a razão pela qual se diz que às vésperas de uma cirurgia plástica são um excelente tempo para largar o vício. Tem tudo a ver com a oxigenação dos tecidos operados e principalmente com o risco de trombose e embolia pulmonar, além da própria cicatrização e problemas respiratórios em um pós-operatório.
Complicações respiratórias podem acontecer após cirurgias e é dever do médico tentar minimizar os fatores de risco relacionados a este problema, auxiliando o paciente com dicas alimentares e incentivando-o a parar de fumar, nem que seja por um breve período antes do procedimento cirúrgico. Aconselha-se esta ação porque a nicotina, que é a principal substância consumida através do cigarro, é vasoconstritora, ou seja, diminui o diâmetro dos vasos. Isso dificulta a circulação sanguínea e consequentemente a oxigenação apropriada dos tecidos – em especial os que demandam mais oxigênio, como os que estão em processo de cicatrização inicial. Caso contrário, pode-se iniciar um quadro de trombose venosa (que é a obstrução de um vaso por um “trombo”, causando uma reação inflamatória perivascular).
Contudo, não adianta parar de fumar alguns dias antes da data marcada para o procedimento. O ideal é que o tabagismo seja interrompido 3 meses antes, sendo o prazo mínimo para que isto ocorra, de 30 dias. Com isso o organismo pode metabolizar parte da nicotina ainda presente no sangue e entregar uma oxigenação mais estável na hora da cirurgia. Ainda assim, é comum que seja considerado o tempo de recuperação da cirurgia e a própria duração do procedimento, visto que quanto mais demorado, mais se demandará do sistema sanguíneo, exigindo um tempo maior de parada.

 

Outros riscos que o fumante corre antes de uma cirurgia plástica

O principal problema é a trombose venosa profunda (TEV) e o tromboembolismo pulmonar (TEP) que são potencialmente fatais. Em seguida, a redução da oxigenação dos tecidos devido a vasoconstrição que pode resultar em necroses, principalmente em cirurgias com grande descolamento como a abdominoplastia, a mastoplastia, a plástica da face e pescoço. A lipoaspiração está fora desta complicação.

A verdade é que fumar é um péssimo hábito e as condições pré-operatórias podem ser uma ótima oportunidade de parar definitivamente. Sua saúde agradece!

Agende uma consulta ligando para os números (41) 3343-8881 | (41) 99834-6444 ou através da nossa página de contato.

Fontes:

Lipoaspiração: conheça mais sobre o procedimento

Postado por Marcos Grillo em 19/set/2018 - Sem Comentários

A cirurgia de Lipoaspiração é realizada para retirar a gordura localizada em regiões específicas do corpo e pode ser aplicada de forma isolada ou como complemento a outros procedimentos.

A Lipoaspiração é uma Cirurgia Plástica realizada para remover o excesso de gordura de áreas específicas do corpo. O objetivo desse procedimento é melhorar os contornos e a proporção geral do corpo do paciente. Por isso, a Lipoaspiração pode ser realizada em diversas partes do corpo, como a face interna das coxas, culotes, braços, cintura, costas, pescoço, e abdômen. A cirurgia de Lipoaspiração pode ainda ser realizada isoladamente ou em conjunto com outras Cirurgias Plásticas, como o Facelift, a Abdominoplastia e os procedimentos de redução ou aumento das mamas.

Essa cirurgia, no entanto, não é um tratamento para obesidade e não substitui hábitos alimentares saudáveis e a prática de exercícios físicos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a Lipoaspiração foi a segunda Cirurgia Plástica Estética mais realizada no Brasil em 2016. A pesquisa realizada pela SBCP mostra que naquele ano foram feitas 229,7 mil cirurgias de Lipoaspiração em todo o Brasil.

É importante ressaltar que o resultado da Cirurgia Plástica só será evidente quando o inchaço e a retenção de líquidos diminuírem com o tempo. Manter uma dieta saudável e atividades físicas regulares, de acordo com a indicação do Cirurgião Plástico, ajuda a preservar os resultados obtidos, enquanto o ganho excessivo de peso pode alterar o resultado da Cirurgia Plástica.

Muitas pessoas querem estar com o corpo pronto para o verão, então optam por realizar Cirurgias Plásticas no inverno. Essa escolha traz diversas vantagens para os pacientes, como a recuperação completa e a possibilidade de voltar completamente à sua rotina normal antes do início do verão. Além disso, as temperaturas mais baixas facilitam a utilização dos acessórios no período pós-operatório. Com o frio, o inchaço que ocorre normalmente após a cirurgia tende a ser menor e as cicatrizes e curativos também ficam mais protegidos e menos expostos ao sol, o que auxilia na recuperação do paciente.

Se você quer saber mais sobre o procedimento, entre em contato e agende uma consulta: (41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444.

Fontes:

Qual a importância da Cirurgia Plástica pós bariátrica para o paciente?

Postado por Marcos Grillo em 24/ago/2018 - Sem Comentários

A Cirurgia Plástica pós bariátrica é fundamental para devolver a autoestima que o paciente tanto merece. Saiba como ela é realizada neste artigo.

A pós bariátrica é uma Cirurgia Plástica que visa dar melhor contorno corporal ao paciente que se submeteu a uma bariátrica devido ao estado de obesidade em que se encontrava.

Em boa parte das populações ocidentais, a taxa de obesidade vem crescendo a cada ano, o que representa um dos problemas de saúde mais preocupantes da atualidade. Isso se deve ao fato da doença desencadear tantas outras, como o infarto do miocárdio, a hipertensão e a diabetes – e, a fim de evitar essas consequências, o paciente submete-se à cirurgia bariátrica, pois ela permite uma perda de peso considerável.

 

Mas, não basta apenas essa cirurgia para o paciente se sentir bem consigo mesmo novamente, até porque o procedimento traz grandes excessos de pele flácida, que ficam localizados principalmente no abdômen, braço, pernas e mamas. Para isso, a Cirurgia Plástica é indicada para devolver o bem-estar e a autoestima da pessoa.

 

O passo a passo da Cirurgia Plástica pós bariátrica

Há algumas etapas que precisam ser cumpridas antes da Cirurgia Plástica pós bariátrica ser efetivamente realizada, sendo a primeira delas a estabilização do peso do paciente. Além dessa etapa, outras tantas acompanham o processo – que, normalmente, leva cerca de um 1,5 a 2 anos para ser completado -, como a mudança da postura, da autoimagem e da silhueta.

Com isso tudo alinhado, essa cirurgia de contorno corporal finalmente pode ser aplicada, tendo início na região do abdômen, seguindo para as mamas, braços, coxas e face – ou na ordem que o paciente preferir, desde que não vá contra a lógica do procedimento. Após tudo feito, não se esqueça dos cuidados pós-operatórios, que consistem basicamente em repouso e curativos adequados, que serão explicados minuciosamente pelo Cirurgião Plástico.

Caso tenha interesse em realizar uma Cirurgia Plástica pós bariátrica, agende uma consulta aqui na clínica e vamos conversar sobre o processo como um todo: (41) 3343-8881 | (41) 99834-6444

 

Fontes:

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/cirurgias-e-procedimentos/contorno-corporal/pos-bariatrica/

https://www.sbcbm.org.br/cirurgia-plastica/#1507069843682-16fb1ab0-c41d

Cuidados pré-cirúrgicos: saiba o que fazer antes de realizar sua Cirurgia Plástica

Postado por Marcos Grillo em 30/jul/2018 - Sem Comentários

Os cuidados pré-cirúrgicos são essenciais para o resultado da sua Cirurgia Plástica, por isso é preciso ficar atento às indicações do médico

Entre a primeira consulta com o Cirurgião Plástico e o dia da realização da cirurgia, é preciso ficar atento aos cuidados pré-cirúrgicos, que podem influenciar diretamente no resultado do procedimento. Além disso, é importante que o paciente seja sincero com o médico ao relatar seu histórico médico completo, doenças e cirurgias anteriores, alergias a medicamentos e anestesias, uso de medicação ou outras substâncias químicas, e qualquer informação que possa interferir na realização da Cirurgia Plástica.

Após o primeiro passo, que é escolher um Cirurgião Plástico certificado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), é preciso marcar uma primeira consulta e expor ao profissional todas as dúvidas, expectativas e motivações para realizar a Cirurgia Plástica. Assim, o médico poderá explicar todo o procedimento e alinhar as expectativas do paciente com relação ao resultado final.

Após a primeira consulta, o Cirurgião Plástico deverá pedir a realização de alguns exames pré-operatórios, como exame de sangue, avaliação cardiológica, consulta com anestesista ou outros exames específicos que podem ser solicitados de acordo com cada caso. Antes da realização da Cirurgia Plástica, o médico também pode fazer algumas recomendações ao paciente, como parar de fumar com certa antecedência, interromper o uso de medicações que possam aumentar o risco de sangramento e fazer jejum no dia da cirurgia.

Manter uma dieta saudável e praticar atividades físicas no período pré-cirúrgico também pode auxiliar no processo de cicatrização da operação, além de fortalecer a musculatura e melhorar o condicionamento físico geral. Durante as consultas, o paciente também deve ser informado a respeito da equipe médica que irá acompanhar o cirurgião e a clínica ou hospital em que o procedimento será realizado. Assim, se o paciente tomar todos os cuidados pré-cirúrgicos, a chance de complicações diminui e o resultado pode ser ainda mais satisfatório.  

 

Fontes:

http://sbcp-sc.org.br/artigos/cuidados-necessarios-antes-da-cirurgia-plastica/

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/seguranca-do-paciente/sua-seguranca-e-saude/

https://mdemulher.abril.com.br/beleza/os-cuidados-que-voce-deve-tomar-antes-de-fazer-uma-cirurgia-plastica/

Ácido Hialurônico: saiba mais sobre a substância utilizada em preenchimentos faciais

Postado por Marcos Grillo em 15/jul/2018 - Sem Comentários

O Ácido Hialurônico serve para hidratar, preencher e dar sustentação à pele

O Ácido Hialurônico é uma substância produzida pelo corpo humano e pode ser encontrada no tecido da pele, no fluido que circunda os olhos e em algumas cartilagens e fluidos articulares. Essa substância retém água, o que hidrata, dá volume e sustentação à pele. Porém, ao longo do tempo, o organismo diminui a produção do Ácido Hialurônico, o que aumenta a desidratação da pele, intensifica rugas e causa flacidez, além de causar a diminuição do volume e a perda dos contornos do rosto.

Assim, a injeção de Ácido Hialurônico na pele tem a função de repor o volume e atenuar as rugas, melhorando os contornos e as formas da face. Porém, cada local de aplicação demanda um tipo de ácido específico, por exemplo, a aplicação na região das olheiras é feita com um produto mais leve e moldável, enquanto o tipo de Ácido Hialurônico usado para dar mais volume ao rosto é mais firme e concentrado.

Atualmente, com as novas tecnologias, a aplicação do produto pode durar até 18 meses, já que aos poucos a substância é absorvida pelo corpo e deve ser reaplicada. No entanto, ao contrário de outros preenchimentos, a reaplicação do Ácido Hialurônico pode ser feita em doses menores e não é necessário fazer a reaplicação completa.

O médico deve avaliar o método de preenchimento ideal de para cada paciente, de acordo com o motivo das rugas e linhas de expressão. É importante ressaltar que tanto a aplicação do Ácido Hialurônico quanto da Toxina Botulínica (Botox®), são procedimentos médicos que necessitam de diagnóstico prévio e tratamento adequado. Por isso, a aplicação de preenchimentos faciais deve ser realizada apenas por médicos certificados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) ou pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

 

Fontes:

https://emais.estadao.com.br/noticias/bem-estar,entenda-as-diferencas-entre-botox-e-acido-hialuronico-em-tratamentos-esteticos,70002218763

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/2018/04/26/justica-proibe-farmaceuticos-de-utilizarem-botox-e-acido-hialuronico-para-fins-esteticos/

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/2014/01/17/preenchimento-de-acido-hialuronico-voce-sabe-o-que-e/

https://mdemulher.abril.com.br/saude/acido-hialuronico-descubra-tudo-que-ele-pode-fazer-pela-sua-pele/

https://g1.globo.com/bemestar/noticia/acido-hiauluronico-o-que-e-e-para-que-serve.ghtml

Como escolher seu Cirurgião Plástico

Postado por Marcos Grillo em 26/jun/2018 - Sem Comentários

Conheça os principais fatores a serem considerados na hora de escolher seu Cirurgião Plástico

Escolher seu Cirurgião Plástico é o primeiro passo para realizar uma Cirurgia Plástica bem-sucedida. A busca demanda atenção e é preciso pesquisar bastante na hora de escolher o profissional para realizar a sua cirurgia. Primeiramente, verifique as titulações e certificações para ter certeza de que o médico é especialista em Cirurgia Plástica. Para garantir que ele passou por treinamento na área, é preciso que o Cirurgião Plástico seja um membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Obrigatoriamente, o Cirurgião Plástico deve ter o título de especialista ou de membro titular da SBCP, ou seja, um grau mais elevado dentro da instituição. Para ser associado à SBCP, o médico deve ter registro em Cirurgia Plástica no Conselho Regional de Medicina (CRM) e ser aprovado na prova específica de obtenção de título.

Assim, escolher um Cirurgião Plástico associado à SBCP é garantia de que o médico completou treinamento em cirurgia por no mínimo 5 anos, sendo 3 deles dedicados à Cirurgia Plástica. Os profissionais com respaldo da SBCP também têm a garantia de operar apenas em instalações médicas credenciadas e estarem submetidos a um estrito código de ética, além de serem aptos a realizar tanto Cirurgias Plásticas Estéticas quanto Reparadoras.

Além das titulações, também deve ser levada em conta a capacidade técnica e científica comprovada do Cirurgião Plástico, a experiência adquirida ao longo da carreira e a confiança que ele passa aos seus pacientes. Para isso, é preciso pesquisar sobre o Cirurgião Plástico escolhido e se consultar com ele para ter certeza de sua capacidade.

Outro fator importante a ser levado em conta na hora de escolher o seu médico é a reputação adquirida pelo profissional perante a outros médicos, à sociedade onde ele atua e com relação aos ex-pacientes – muitas pessoas optam por pedir indicações aos ex-pacientes do Cirurgião Plástico.

Como qualquer intervenção cirúrgica, a Cirurgia Plástica pode apresentar riscos para o paciente, por isso é necessário escolher um profissional credenciado e que esteja preparado para realizar os procedimentos. Conheça mais sobre a carreira do Dr. Marcos Grillo (LINK: https://marcosgrillo.com.br/dr-marcos-grillo/) e marque uma consulta para tirar suas dúvidas: (41) 3343-8881 e (41) 99834-6444.

 

Fontes:

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/seguranca-do-paciente/cirurgiao-de-confianca/