Segurança em cirurgia

Postado por Marcos Grillo em 02/dez/2013 - Sem Comentários

A ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) vem desenvolvendo um projeto há alguns anos denominado “Safety Diamond” (“Diamante de Segurança”) para procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos em Cirurgia Plástica.
Este projeto visa proteger ao máximo o paciente e o cirurgião plástico das intercorrências que possam ocorrer advindas dos procedimentos.

Em suma, tanto o paciente quanto o cirurgião devem obedecer as quatro extremidades do diamante.

Primeira: escolha de profissionais devidamente certificados pelos órgãos que regem a profissão. No caso do Brasil, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. E que possuam experiência comprovada no procedimento escolhido.

Segunda: o procedimento indicado deve beneficiar o paciente trazendo o resultado esperado.

Terceira: o paciente deve ser o candidato ideal para aquele procedimento, estando em condições clínicas adequadas para enfrentar tanto o procedimento quanto a recuperação daquele.

Quarta: local escolhido para realizar o procedimento deve ser bem equipado e com profissionais bem treinados para atender qualquer tipo de emergência.

Evidentemente que mesmo respeitando-se estas diretrizes, complicações inerentes aos procedimentos poderão acontecer mas certamente com números significativamente menores.