Arquivo da Categoria "Sem categoria"

Cirurgião plástico: seu dia merece uma homenagem

Postado por Marcos Grillo em 07/dez/2017 - Sem Comentários

Detalhista e perfeccionista. O cirurgião plástico devolve o bem-estar e a autoestima das pessoas com seu trabalho. Conheça a história da profissão.

Apesar de, hoje, possuir técnicas muito modernas e ser uma área cheia de inovações, a cirurgia plástica é um ramo muito antigo. Desde milhares de anos atrás as pessoas não aceitam as imperfeições do seu corpo, sentindo a necessidade de muda-lo para atingir a aparência desejada. Dessa forma, o cirurgião plástico é uma profissão que vem, há muito tempo, trazendo satisfação e bem-estar aos pacientes.

Como surgiu?

De acordo com registros históricos, papiros escritos cerca de 2.500 a.C, as primeiras cirurgias plásticas foram realizadas na Índia. Os relatos descrevem procedimentos feitos para reconstrução de algumas partes do corpo, principalmente nariz e para tratamento de fraturas da mandíbula.

Nesta época, eram aplicadas muitas punições aos integrantes das tribos hindus. Mulheres adúlteras, por exemplo, tinham seu nariz amputado. Dessa forma, os cirurgiões plásticos da época desenvolviam técnicas com enxertos de pele da parte interna do braço para a reconstrução.

Os registros mostram que o primeiro cirurgião plástico da história foi o indiano Sushruta que, no século VI a.C escreveu o famoso livro ‘Sushruta Samhita’ onde relata as punições hindus e os seus trabalhos para a reconstrução da aparência das vítimas.

Mais tarde, essas técnicas foram superando gerações e se espalhando pelo mundo. No século XV, a Itália era o único país que praticava a rinoplastia. O método utilizado é atribuído ao italiano Gasparo Tagliacozzi, que era professor de anatomia na Universidade de Bolonha e foi o primeiro a publicar um artigo detalhado sobre o procedimento. Isto ocorreu em 1597.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a cirurgia plástica atingiu outro patamar ao ser utilizada para amenizar cicatrizes de soldados que se feriram nas batalhas. O nome que ficou famoso por isto foi o do Dr. Harold Gillies. A primeira cirurgia plástica da história foi realizada por ele, em 1917.

Walter Yeo era um soldado que sofreu profundas queimaduras no rosto, resultando na perda das pálpebras inferiores e superiores. Ele foi o paciente de Gillies, que retirou tecido de uma área não atingida (costas ou peito) para fazer um tubo de pele saudável para se conectar ao local ferido, em que seria feito o transplante de pele. Dessa forma, não se perderia o fluxo sanguíneo, possibilitando a regeneração natural e, depois da cicatrização, o tubo foi removido.

Este foi um breve trecho da história da cirurgia plástica. Como podemos ver, o cirurgião plástico tem um papel fundamental para o bem-estar das pessoas e por isso esta data é tão especial!

 

 

Fontes:

https://projetomedicina.com.br/medicina/as-primeiras-cirurgias-plasticas-faciais/

http://cirurgiaplasticabr.blogspot.com.br/2008/12/histria-da-origem-da-cirurgia-plstica.html

http://www.drkleilton.com.br/historia/

http://www.bgcirurgiaplastica.com.br/artigo28-cirurgiaenariz.htm

Reconstrução mamária: uma melhora na autoestima da paciente

Postado por Marcos Grillo em 26/out/2017 - Sem Comentários

Devido a procedimentos realizados por conta de casos de câncer de mama, a reconstrução mamária vem para ajudar a paciente com a sua autoestima.

Neste Outubro Rosa, mês da conscientização sobre o câncer de mama, muitos são os assuntos discutidos sobre a doença – inclusive a questão sobre a autoestima da paciente. Normalmente, boa parte das pessoas que passaram por uma mastectomia (retirada total ou parcial da mama) tem indicação para passar por uma reconstrução mamária. Porém, antes de decidir qualquer coisa, é sempre importante conversar com um cirurgião plástico sobre o procedimento.

A reconstrução mamária age física e emocionalmente sobre a mulher que teve a sua mama retirada por conta de um câncer de mama – ou outras situações, como a agenesia de uma das mamas (Síndrome de Poland), queimaduras ou traumas na região peitoral. Isso se deve ao fato de que uma nova mama melhora consideravelmente a autoestima, autoconfiança e qualidade de vida da paciente.

Esse procedimento pode ser imediato, isto é, realizado ao mesmo tempo que a mastectomia, ou tardio, após a recuperação da mastectomia ou de quaisquer outras cirurgias. Além disso, ele também é realizado em dois ou três tempos cirúrgicos, dividido da seguinte maneira:

1. Num primeiro momento, há a devolução do volume retirado;
2. Após isso, o trabalho é deixar a mama reconstruída o mais parecido possível com a sadia (processo de simetrização);
3. Por fim, há a reconstrução da placa aréolo-mamilar (bico do seio).

Com relação às técnicas utilizadas na hora da reconstrução mamária, há três principais – que deverão ser discutidas com o profissional que vai fazer a operação, uma vez que podem variar de caso para caso, por conta da forma, tamanho e localização da retirada do tecido. Confira abaixo o que caracteriza cada uma dessas técnicas:

– Prótese de silicone: essa técnica é normalmente indicada em casos que a mastectomia não comprometeu tanto a pele ou para quem não possui tecido suficiente para a reconstrução mamária.
– Uso de expansores: uma espécie de prótese vazia é inserida sob a pele para que, gradualmente, o tecido da mama expanda, por meio da aplicação de soro fisiológico, até chegar ao tamanho desejado. Após essa primeira etapa, há a retirada desse expansor e a inserção do implante definitivo.
– Transferência de retalho de pele: essa opção visa a retirada de tecido de uma área do corpo específica para reconstruir a mama. Os locais mais comuns dessa retirada de tecido para a reconstrução mamária são 1) pele, gordura e músculos da parte inferior abdominal; 2) tecido adiposo da barriga; e 3) retalho do músculo grande dorsal (costas).

Caso você tenha interesse em realizar a reconstrução da sua mama, agende uma consulta aqui na clínica e tire todas as suas dúvidas quanto ao procedimento: (41) 3343.8881 | (41) 9 9834.6444

Fontes:

Supercílios assimétricos: como fazer a correção?

Postado por Marcos Grillo em 17/out/2017 - Sem Comentários

As sobrancelhas, também conhecidas por supercílios, podem ter formatos diferentes, precisando de algumas medidas para atingir o formato ideal.

É muito comum as pessoas possuírem os supercílios diferentes um do outro. Também conhecidos por sobrancelhas, possuem diferentes formatos e posicionamento na região frontal, sendo, raramente, simétricos.

As sobrancelhas das mulheres são diferentes das masculinas. Para elas, o formato ideal seria a porção lateral, ou a calda, ser mais alta do que sua origem que é perto da raiz nasal, região também conhecida anatomicamente como glabela. Já a deles fica ideal se a parte lateral e a interna estiverem na mesma altura.

Existem maneiras de atingir o formato ideal dos supercílios. Podem ser cirúrgicas, por meio da videoendoscopia frontal ou ritidoplastia do terço superior da face, e não cirúrgicas, com o emprego de toxina botulínica, o famoso Botox®.

Na segunda opção, a substância é aplicada na musculatura elevadora dos supercílios, na sua porção medial, e na musculatura depressora do supercílio, na sua porção lateral. Dessa forma, é possível conseguir o formato anatômico das sobrancelhas, ou seja, sua simetria.

Em muitos casos, pode haver uma diferença de altura dos supercílios, isto é, um lado mais baixo que o outro. Nestes casos, a aplicação do Botox® deve ser realizada de maneira minuciosa e individualizada para cada lado.

Para os casos cirúrgicos, os procedimentos servem para o reposicionamento da musculatura da região. A videoendoscopia precisa de internação de 12 a 24 horas, anestesia local e sedação. O retorno às atividades cotidianas pode ser feito entre sete e dez dias e às atividades físicas em vinte dias. A ritidoplastia proporciona mais naturalidade no resultado e as cicatrizes ficam camufladas. A internação é de 24 horas, com anestesia local e o retorno às atividades cotidianas é feito em dez a quinze dias e às físicas em trinta dias.

Agende sua consulta conheça melhor o seu caso: (41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444 | Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar.

Rugas no pescoço e as cirurgias para rejuvenescimento

Postado por Marcos Grillo em 28/set/2017 - Sem Comentários

Os cirurgiões plásticos recebem pessoas que não gostam da sua aparência e, uma das maiores reclamações são as rugas no pescoço.

Com o tempo, o conjunto de tecidos do nosso corpo (pele, tecidos subcutâneos e músculos)  fica mais flácido. Para resolver tal questão, as pessoas procuram os cirurgiões plásticos. A grande queixa das pacientes que procuram pela cirurgia do rejuvenescimento facial é o pescoço: doutor, eu não gosto destas rugas no pescoço.

Mesmo com o uso diário de cremes e produtos afins, a pele tende a ceder com o tempo. Algumas pessoas ficam realmente incomodadas com a aparência enrugada e procuram a cirurgia plástica.

Existem diferentes técnicas para a cirurgia do rejuvenescimento facial e cervical. Algumas mais suaves e outras mais agressivas, com a ressecção de parte dos músculos que reforçam o assoalho da boca até das glândulas salivares submandibulares.

As cirurgias mais agressivas apresentam índices de complicações muito elevados, tais como hematomas, paralisias de nervos motores, acúmulo de saliva sob a pele (sialomas) e redução do volume da saliva.

Os resultados mostrados em fotografias, muitas vezes espetaculares, são estáticos, isto é, sem movimentos. Se forem realizadas filmagens para mostrar o resultado dinamicamente, observa-se, na maioria das vezes, um pescoço esqueletizado, sem naturalidade.

Portanto, a indicação para cirurgias mais agressivas é preciso ser feita com cautela. Algumas vezes, existe a necessidade da indicação para tais procedimentos. Ainda assim, é preciso que o paciente procure um médico de confiança, que passe todas as devidas orientações e possíveis consequências de uma plástica como essa para a pessoa que será operada.

Já as cirurgias menos agressivas apresentam menores índices de complicações e maior naturalidade nos resultados. Por isso, se as rugas no pescoço te incomodam, fale com um profissional experiente e conheça o seu caso.

Agende sua consulta e venha nos conhecer melhor: (41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444 | Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar.

Células-tronco e os cuidados com seus tratamentos

Postado por Marcos Grillo em 26/set/2017 - Sem Comentários

Considerado um avanço na medicina, o uso de células-tronco deve ser feito com cautela, como afirmam cirurgiões plásticos especialistas em Simpósio Internacional.

As células-tronco, também conhecidas como células-fonte, são um tipo específico que conseguem originar outras células. Consideradas um grande avanço da medicina, elas são usadas para reposição celular e regeneração tecidual. Mas, tratamentos que envolvem esse tipo de célula podem trazer algumas complicações.

De acordo com os cirurgiões plásticos especialistas em células tronco, o suíço Dr. Kai Scheudraff e os brasileiros Dr. Ithamar Stocchero e Dra. Isa Dietrich, os tratamentos prometidos com injeções de células-tronco devem ser olhados com muitas restrições.

No XV Simpósio Internacional de Cirurgia Plástica, realizado em São Paulo, a mesa redonda, constituída pelos três especialistas nominados acima, discutiu amplamente os tratamentos realizados com células-tronco. Muitos protocolos de pesquisa e muitos “trials” clínicos têm demonstrado os benefícios destas células, que podem se diferenciar em qualquer célula presente em nosso organismo e, muitas vezes, em células cancerígenas.

Avanços têm sido realizados nas áreas de cardiologia e cirurgia cardíaca, a própria oncologia com os transplantes de medula óssea, neurologia, entre outras áreas. Pesquisas apontam que há necessidade de um vetor para as células, um arcabouço tecidual adequado e imunomodulação.

O tecido adiposo é muito rico em células-tronco, porém os enxertos deste tecido não devem ser interpretados como tratamentos com células tronco. Portanto, estamos sempre atentos nas últimas pesquisas sobre o assunto e a engenharia tecidual.

Enquanto isso, procure sempre um cirurgião plástico experiente para a realização de qualquer procedimento estético que seja cirúrgico. A Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Marcos Grillo realiza diversas cirurgias que investem na beleza, como lipoaspiração, abdominoplastia, mastoplastias de aumento e redução, mastopexia e mais. Além disso, são realizados, também, procedimentos não-cirúrgicos, como aplicações de Botox®, preenchimentos com ácido hialurônico, peelings, entre outros.

Agende sua consulta e venha nos conhecer melhor: (41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444 | Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar.

 

Fonte:
http://www.infoescola.com/citologia/celulas-tronco/

Projeto verão 2017: fique linda para o fim do ano

Postado por Marcos Grillo em 20/set/2017 - Sem Comentários

Mirando nas festas de fim de ano e férias de verão, alguns procedimentos estéticos são fundamentais para atingir a meta do projeto verão.

Estamos nos aproximando do final do ano e, como sempre, surgem as metas do projeto verão para aparecer linda na praia e nas festas. Por isso, nós separamos algumas dicas e tratamentos estéticos que vão garantir mais beleza nas fotografias de recordação de 2017.

Primeiramente, é importante ter sempre uma alimentação adequada, hidratar-se constantemente e, lógico, usar protetor solar diariamente. Vamos começar pelo rosto!

Recomendamos também a utilização de produtos para reduzir as manchas da pele da face, melhorar a hidratação, reduzir a oleosidade e estimular a renovação celular. Um dos procedimentos estéticos para auxiliar na ação dos cremes é a microdermoabrasão com peelings de cristal. Sugerimos aplicações quinzenais.

Outra recomendação que garante uma grande melhora na aparência é a aplicação da toxina botulínica, o famoso Botox®, do laboratório Allergan. Este procedimento reduz e, muitas vezes, elimina as rugas dinâmicas na fronte (testa), na região entre os supercílios (glabela) e nas regiões laterais das órbitas (“pés de galinha”). É um tratamento muito utilizado pelos pacientes nesta época, pois deixa uma expressão facial mais leve e descansada.

Os preenchimentos faciais também são excelentes para reduzir a profundidade dos sulcos e depressões, principalmente o sulco nasolabial (“bigode chinês”) e as pequenas linhas perpendiculares aos lábios (“código de barra”). Lembrando sempre que os preenchedores empregados devem ser aqueles à base de ácido hialurônico, absorvíveis pelo organismo ao final de dois anos.

Quanto aos tratamentos estéticos corporais, estes vão melhorar a aparência da silhueta corporal. Sempre importante iniciar o projeto verão com uma dieta saudável e prática de exercícios físicos regulares. Os procedimentos indicados são à base de drenagem linfática manual e com aparelhos que empregam ultrassom de alta potência, para reduzir gordura localizada e homogeneizar a superfície da pele.

Assim, todo mundo fica ainda mais bonito para curtir as festas de fim de ano e as férias de verão! Mas, é muito importante sempre se consultar com um médico experiente e profissionais da área da estética.

Por isso agende uma consulta para conhecer a Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Marcos Grillo e seu setor Novva Estética e Saúde: (41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444 | Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar.

 

 

Abdominoplastia ou plástica do abdômen

Postado por Marcos Grillo em 30/ago/2017 - Sem Comentários

Indicada para quem tem excesso de gordura na região do abdômen, a abdominoplastia corrige a separação da musculatura abdominal na linha média e cria um perfil mais saudável.

A abdominoplastia, também conhecida como dermolipectomia abdominal ou plástica do abdômen, é um procedimento indicado para pacientes que possuem excessos de gordura e pele na região do abdômen, que vão se acumulando com o passar dos anos.

Este procedimento é realizado, com frequência, em mulheres que engravidaram uma ou mais vezes, por conta da flacidez ainda existente na musculatura da parede abdominal. Porém, também pode ser recorrida devido as seguintes causas:

  • Envelhecimento;
  • Oscilações de peso (efeito sanfona);
  • Hereditariedade;
  • Cirurgia prévia.

A cirurgia é realizada sob sedação e anestesia peridural, com internação de 24 horas. Além disso, ela permite uma diminuição na circunferência do abdômen, fornecendo, assim, uma linha da cintura mais definida. Durante o tempo de recuperação, não há necessidade de permanecer em repouso, e as atividades básicas podem ser retomadas já no dia seguinte. Após 15 dias de cirurgia, há a liberação para dirigir e fazer caminhadas curtas.

A abdominoplastia traz alguma complicação?

Como todo procedimento cirúrgico, a abdominoplastia traz alguns riscos no pós-operatório, sendo os maiores deles a trombose e a embolia pulmonar. Além desses, há também as complicações comuns a qualquer cirurgia, como sangramento, infecção e até mesmo o óbito.

Por conta disso, conhecer a procedência do local e do cirurgião que irá realizar a abodminoplastia é muito importante. Agora que você já conhece todas as características do procedimento, conte com profissionais experientes. Agende uma consulta na Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Marcos Grillo para passar por uma avaliação, descobrir se é seu caso e tirar todas as suas dúvidas quanto ao pré e pós-operatório: (41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444 | Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar.

Levantar os seios necessita a colocação de prótese?

Postado por Marcos Grillo em 28/ago/2017 - Sem Comentários

Muitas mulheres desejam apenas uma cirurgia plástica para levantar os seios, sem necessidade da inclusão de implante de silicone. A dúvida é: isso é possível?

Você já ouviu falar em mastopexia? Esta é a cirurgia indicada para levantar os seios. Uma dúvida frequente que as pacientes têm sobre esse procedimento e, muitas vezes também sobre a mastoplastia redutora (plástica para redução das mamas), é sobre a necessidade de adicionar a colocação de próteses.

As mamas são formadas anatomicamente por tecido glandular mais denso e gordura, sendo revestidas por pele. Com o passar dos anos e, principalmente, com a amamentação e grande oscilação de peso, ocorre uma atrofia do tecido mamário e aumento do tecido gorduroso.

Como o tecido mamário tem uma consistência maior ou mais firme que o tecido gorduroso, as mamas vão perdendo a consistência e ficando mais flácidas e, consequentemente, caídas. Isso leva muitas mulheres a procurarem um cirurgião plástico para levantar os seios, a fim de melhorar, não só a autoestima, mas também a qualidade de vida.

Mulheres com mamas muito grandes e caídas tendem a ter mais dificuldade para encontrar um sutiã adequado, assim como para não o usar. Além disso, essa condição causa, também, muitas dores das costas, por conta do peso e da postura errada.

Mas e aí? É possível melhorar a aparência sem a necessidade de implante de silicone?

Nos casos em que as mamas estão caídas e “moles”, existe a indicação de retirar um volume do tecido gorduroso e colocar uma prótese para melhorar a consistência das mamas. Nos casos em que as mamas reduzem de volume com o passar dos anos e a paciente quer aumentar este volume, também há indicação da colocação de um implante.

Agora, naqueles casos em que existe uma boa quantidade de tecido glandular denso e a mama está apenas caída, não há nenhuma indicação de retirar um pedaço deste tecido e substituí-lo por um implante.

De qualquer forma, é sempre importante consultar um cirurgião plástico experiente antes de decidir o que é melhor fazer. Agende sua consulta na Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Marcos Grillo.

(41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444

Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar

Implante de silicone nas mamas: qual o melhor plano?

Postado por Marcos Grillo em 18/ago/2017 - Sem Comentários

Há indicações diferentes para a colocação de implante de silicone nas mamas. Confira quais são elas e agende uma consulta para descobrir qual é o seu caso.

“Na frente ou atrás do músculo, doutor?” – Essa é uma das dúvidas mais frequentes que as mulheres têm na hora de colocar um implante de silicone. Primeiramente, é importante saber que existem indicações para a escolha do plano de inclusão das próteses adequada para cada paciente.

A colocação retropeitoral, ou “atrás do músculo”, é indicada para mulheres que possuem mamas muito pequenas e, também, se a paciente for muito magra. Essa condição se dá por causa da falta de tecido suficiente para cobrir o implante de silicone.

Já a posição pré-peitoral, também conhecida como subfascial ou ainda “na frente do músculo”, é indicada quando existe tecido mamário suficiente para encobrir todo o implante, evitando, principalmente, o aparecimento das bordas do mesmo.

Uma curiosidade é que, em pacientes que possuam como indicação a colocação das próteses no plano pré-peitoral, pode-se também optar pela escolha do plano retropeitoral. Porém, não se pode colocar os implantes no plano pré-peitoral, quando a indicação é retro peitoral.

Esse questionamento vem acompanhado da preocupação da paciente com a queda das suas mamas. Mas, é importante ressaltar que a posição do implante de silicone não está relacionada aos seios caídos, mas sim a oscilação muito grande de peso.

No geral, não há uma forma correta ou errada para a colocação de implantes de silicone nas mamas. Há apenas a maneira mais adequada para cada mulher, de acordo com suas características.

Conseguiu descobrir qual é o seu caso? Na dúvida, converse muito bem com seu cirurgião. Por isso, agende uma consulta na Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Marcos Grillo e fique segura!

(41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444

Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar

 

 

Cirurgia plástica facial para traços mais jovens

Postado por Marcos Grillo em 14/ago/2017 - Sem Comentários

O rejuvenescimento facial é procurado por muitas pessoas. É importante saber qual é a técnica de cirurgia plástica facial indicada para você

Com o passar dos anos, as estruturas superficiais e profundas da pele ficam flácidas, o que causa as rugas e a aparência mais cansada e idosa. O rejuvenescimento facial é dividido em procedimentos cirúrgicos realizados nos terços superior, médio e inferior da face. Conheça as técnicas de cirurgia plástica facial:

No terço superior (testa, supercílios e pálpebras), a cirurgia videoendoscópica é a técnica mais moderna, que proporciona cicatrizes reduzidas e sem alongar a fronte (testa). A blefaroplastia (plástica facial das pálpebras) também evoluiu muito nos últimos anos. Atualmente, a retirada dos excessos das bolsas e da pele ao redor dos olhos é muito menor, a fim de evitar que a paciente fique com os olhos muito fundos, ou seja, uma aparência muito esquelética.

No terço médio se realiza a dissecção do retalho de pele e tecido celular subcutâneo para se fazer a abordagem do SMAS (sistema músculo aponeurótico superficial), que representa a suspensão da musculatura facial que se apresenta flácida devido a ação da força da gravidade. Assim, se recompõe o volume da região malar (maçã do rosto) e se suavizam os sulcos nasolabiais (“bigode chinês).

No terço inferior da face, o rebordo mandibular é reconstituído por meio da tração do SMAS e parte do músculo platisma. Esse mesmo músculo recobre as estruturas do pescoço e pode ser abordado lateralmente e medialmente para o rejuvenescimento do mesmo.

A ritidoplastia ou “facelift” é aplicada tanto para o terço médio quanto o inferior. O objetivo é devolver ao paciente uma aparência mais rejuvenescida, condizente com a idade cronológica e sem nenhum estigma de cirurgia. Isto é, o paciente se reapresenta ao convívio social com um ar de descanso e naturalidade.

Agora que você já conhece um pouco mais a função de cada técnica de plástica facial, agende sua consulta na Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Marcos Grillo e descubra qual a mais indicada para você.

(41) 3343-8881 ou (41) 99834-6444

Av. Sete de Setembro, 4848, no 12º andar